Invasões Bárbaras 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Dom Abr 09, 2017 9:32 pm

INVASÕES BÁRBARAS 2


Após a última onda de invasões de bárbaros, quando espalharam-se histórias sobre monstros e demônios, o reino da Inglaterra reconstruía-se novamente.

O rei Ricardo Coração de Leão distribuira novos títulos e direitos de terras, sagrada novos cavaleiros, fizera acordos diplomáticos com a Espanha e a Holanda para fortalecer o poderio militar inglês. As cidades e estradas foram reconstruídas, as plantações foram semeadas,, os feudos voltaram a funcionar de forma organizada e os nobres pagavam os  e impostos à coroa. A Inglaterra experimentava um renascimento brilhante e auspicioso.

Os garous tinham em Ricardo o rei dos presas de prata a uni-los sob a Nação Garou. Ao norte de Londres, a floresta de Epping abrigava o maior caern da tribo em território inglês. Membros de outras tribos eram tolerados ali como peticionários na corte do Rei presa de prata. Após a última batalha das invasões, muitos garous retornaram para jurar novamente fidelidade à Nação Garou e voltar à paz do rei.

Fazia agora um ano desde aquela batalha.

Presas de Prata: como líderes triunfantes na última invasão, estão prestigiados mais do que nunca. A maioria dos seus membros está na Seita do Leão de Prata em Londres, onde são uma força insuperável.

Sentinelas dos Homens:os antepassados dos Andarilhos do Asfalto são uma das tribos mais fracas dessa época, e mantém-se na Nação Garou apenas pela misericórdia dos Presas de Prata. Habitantes dos grandes centros urbanos, eles trabalham como ferreiros, construtores e comerciantes, tentando proteger o gênio criativo da humanidade (tarefa bem difícil diante da igreja tradicionalista).

Fenrir: os filhos de Fenris já deixaram de ser exclusivos dos vikings e agora buscam grandes guerreiros para acrescentar à seus parentes. Graças a Ulf Svein e Amora Deschamps, os Presas de Prata agora tratam os Fenrires como vassalos de respeito.

Fianna: a última tribo nativa da Bretanha tem números expressivos na Inglaterra, principalmente perto da fronteira com a Irlanda. Aliados ocasionais dos Presas de Prata, ainda conseguem manter sua cultura dominante através dos costumes tradicionais. Mas não estavam em grande grupo nas últimas invasões, o que diminuiu sua jactância recentemente.

Filhos de Gaia: seus membros mais destacados estão no clero da igreja, fato que aumenta sua influência junto ao povo comum. Sua mensagem pacífica não é apreciada pelo belicista rei Ricardo, gerando desconfiança entre as outras tribos em relação aos Filhos.

Fúrias Negras: as mulheres da Inglaterra estão sob a proteção de garous como Ingrid e suas companheiras de tribo, que ganharam o respeito do rei nas últimas invasões. Embora seus números sejam pequenos, a voz delas é ouvida com atenção na corte.

Garras vermelhas: a tribo habita apenas as regiões selvagens e raramente aparece na corte. Deixaram os reinos humanos à mercê dos invasores sem mover nenhuma pata. Isso indispos o rei Ricardo com os membros da tribo.

Peregrinos Silenciosos: após a última cruzada, o Rei Ricardo foi aprisionado e obrigado a pagar um resgate descomunal. Isso irritou o monarca e fechou para sempre as portas dos peregrinos para ele. Outros garous podem ser mais tolerantes, desde que longe dos olhos do rei.

Roedores de Ossos: a tribo ômega manteve-se leal ao rei na última invasão (invejosos dizem que eles não tinham outra opção além de se esconder atrás dos Presas). Seja como for, o número deles está crescendo, atraídos pela promessa de uma cidade próspera e amigável com os desfavorecidos.

Senhores das Sombras: os membros ingleses da tribo não ajudaram na resistência à última invasão, e foram recebidos como covardes quando retornaram depois das batalhas. Graças ao espanhol El Lobo, ainda há alguns membros da tribo dignos de respeito e confiança (mas não muito).


O Rei Ricardo Coração de Leão convocou uma grande assembléia na Seita do Leão de Prata, onde dispôs-se a ouvir as causas de tribos e garous individuais. Todos desejam aproveitar a ocasião para garantir um pouco de território, favores ou renome na Nação Garou.

OFF: Estão livres para determinar onde estão, o que fizeram desde a última batalha e como chegarão ao caern do Leão.


Última edição por Alexyus em Dom Abr 23, 2017 6:39 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Nataly em Ter Abr 18, 2017 8:51 pm

Amora Deschamps, a Brava Canção de Batalha, tinha ficado na Inglaterra depois da última batalha. Ela queria vigiar o rei presa de prata incompetente em combate e ter certeza que os garous ingleses tivessem guerreiros capazes para se defender e não apanhar de invasores da Wyrm de novo.

Enquanto ajudava os ingleses a reconstruirem, Amora viu um monte de garous aparecendo depois do fim da briga. Não confiava em covardes, por isso aqueles retornados não eram dignos aos seus olhos.

Já que não podia contar com os presas de prata incompetentes e com os desertores covardes, Amora decidiu começar sua própria matilha. Tinha uns poucos cliaths que ela respeitava, então resolveu falar com eles.

O primeiro era o Ulf Svein. Amora foi procurá-lo e falou:

- Ei, Ulf, quero falar com você! Quer fazer parte da minha matilha?
avatar
Nataly

Mensagens : 24
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Qua Abr 19, 2017 8:25 pm

Ingrid permaneceu na corte cuidado da Rainha-mãe, que estava em idade bastante avançada, ela tinha planos de estender a Ordem da Mãe Misericordiosa até Oxford. Sua convivência com o seu marido não era das melhores, pois Ingrid era uma loba e a vida numa corte era sufocante. Quando recebera a mensagem de que o Rei Ricardo preparara uma assembleia, Ingrid não perdia tempo e preparava uma carruagem para levá-la... deixando o marido cuidado das terras que recebera do Rei.
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por miltonviziak em Qua Abr 19, 2017 11:12 pm

Depois da invasão, na qual Ulf ajudou na defesa do caern, Ulf foi embora, a procura de mais dinheiro e batalhas.Encontrou na Holanda varias missões, ainda que pequenas, fez sua parte para combater a wyrm.
E as batalhas o ajudaram a ficar mais forte, gostava de colocar sua vida em risco e conseguir sair vivo.

Depois de um tempo, Ulf escutou que o Rei Ricardo convou uma grande assembléia na seita Leão de Preta.
Ja no local, viu que tinham reconstruido a maioria das casas e lugares, então por enquanto, procurou uma tarverna para dormir.
No dia seguinte saiu para um lugar mais isolado para treinar com a espada, quando ele escuta a voz de Amora.


- Ei, Ulf, quero falar com você! Quer fazer parte da minha matilha?

Ei Amora, a quanto tempo.Fazer parte da sua matilha ? Sorte sua você ter me encontrado aqui, cheguei ontem aqui na seita, porque ouvi o chamado do Rei que estaria convocando uma grande assembléia.
Ulf, olha sério no rosto dela.
Como bons fenris que somos, faremos algum teste ou alguma luta para ser aceito na sua matilha ?

avatar
miltonviziak

Mensagens : 34
Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Dom Abr 23, 2017 8:02 pm




INGRID

Ingrid recebera as terras ao redor de Brentford, em Middlesex. O conde de Brentford, Irah, era um parente quase ignorante sobre os garous, mas temia o suficiente o rei para submeter-se a todos os caprichos de Ingrid. Seu primeiro passo para recuperar as terras devastadas tinha sido iniciar a construção de um grande celeiro real para abrigar a próxima colheita, e a obra ainda estava em curso quando Ingrid recebeu a convocação do rei. Seu marido teve de ficar cuidando da construção, mas pediu que entregasse seus cumprimentos ao rei.

Viajando em sua carruagem, escoltada por soldados de pouco mais de dez anos que lhe olhavam com temor muito humano, Ingrid levou três dias para chegar a Londres. A reconstrução rápida da cidade juntara facilmente 20 mil almas dentro das muralhas da cidade, que vinham morar perto da proteção do rei. Infelizmente, tantos humanos assim tornavam a cidade extremamente suja e fedida, com ruas cheias de lama e excrementos. Para os garous, era o próprio cheiro da Wyrm aumentando.



Mesmo sendo agora uma lady com terras, Ingrid não podia esperar ser alojada no palácio real, devendo arranjar sua própria hospedagem até a noite da assembleia. Ela poderia montar seu pavilhão na entrada dos portões de Londres como a maioria dos lordes guerreiros fazia em tempos de campanha, ou cruzar a ponte de Londres, entrando na cidade e procurando pernoite para si e os seus numa das muitas estalagens londrinas.

Também era sua a decisão de anunciar-se como garou perto do caern do Leão com o tradicional Uivo de Apresentação ou esperar até a noite em que a assembleia teria lugar, a próxima lua cheia, dali a quatro dias.


AMORA & ULF

Amora e Ulf encontraram-se numa das tabernas onde se servia um dos melhores vinhos restantes na Inglaterra. Seus proprietários, um casal idoso que sobrevivera à guerra sob a proteção dos dois, recebiam o guerreiro nórdico e a donzela de guerra francesa com honras que agradariam o próprio rei. Thom e Leonor tinham uma boa adega preservada e cobravam preços altos por cada dose, mas Ulf e Amora podiam beber de graça.

Spoiler:

Entretanto, mesmo os taberneiros olhavam com um temor respeitoso para os dois guerreiros.
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por kausBR em Seg Abr 24, 2017 10:06 pm

Dimitri após a apertada contenda com os espíritos, ficou se recuperando no caern, mas sua contenda foi recebida com alegria pelos anciões, mas o novo rei da nação havia convocado uma assembleia, e pior o Caern do Abutre não tinha membros para enviar igual ao momento do conflito em Londres. Então para honrar chamado do rei, decidiram enviar Dimitri, um descendente tvarivich. Dimitri obviamente não se incomodou, afinal isso tudo é por Gaia.
Após uma longa viagem, Dimitri chega aos arredores da cidade de Londres. O cheiro é terrível, as emanações da Wyrm e Weaver o deixam irritados. "Por Gaia! Por que é tão difícil convocar um espirito natural de Gaia, Malditas Cidades!"
Mesmo a boa vontade desses espíritos ainda o deixa irritadiço. Dimitri chegou aos limites do Caern como os espíritos indicaram, Uivou para se Apresenta e quando encontra o vigia, diz:
-Saudações, vigia. Sou Dimitri "Sorriso de prata" Tvarivich. Vim a para a assembleia através do Caern do Abutre.
avatar
kausBR

Mensagens : 18
Data de inscrição : 01/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Ter Abr 25, 2017 6:08 pm

Ingrid havia sido convocada pelo Rei Ricardo para uma assembléia em Londres, o que a deixou irritada... pois para ela Garous deviam fazer suas reuniões nas florestas, como sempre fizeram. Enquanto a carruagem parava às margens da ponte que levava à cidade, Ingrid sentia o cheiro de podridão que vinha de lá, naquela hora o repúdio sobre a cidade ficava evidente na loba, ela exigia que a carruagem parasse imediatamente e descia soltando fogo pelos olhos.

-- Faremos nosso acampamento aqui. Só entraremos na cidade se o próprio rei Ricardo assim o pedir...

Ingrid olhava para seus soldados, que mais pareciam crianças assustadas e apontava para uma delas. Ingrid não iria ficar em Londres, preferindo ir até o Caern mais próximo fazer os ritos que todos os Garous deviam fazer

-- Você! Me acompanhe.
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Ter Maio 02, 2017 7:27 am

AMORA & ULF

Na taverna, Amora e Ulf planejavam fundar sua matilha.

Mas os dois Fenrires logo perceberam as dificuldades envolvidas. Já havia uma matilha de Fenrires na seita, completa, e nenhum outro fenrir sem matilha. Se quisessem formar a sua própria matilha, teriam que recrutar garous de outras tribos. E matilhas multitribais eram tanto raras quanto suspeitas nessa época.

Outra questão óbvia era o totem, como encontrá-lo e fazer um pacto com ele. Seria preciso que todos os garous da matilha concordassem em cumprir seu dogma. Isso poderia ser motivo de debates com os futuros colegas, tão logo os achassem.

Úlf passara muito tempo longe da seita, mas Amora sabia que o mestre de rituais dá seita era um filho de Gaia chamado Samuel. Ele estava sempre na abadia de Westminster, já que era um homem da igreja.

Com sorte, Samuel poderia, além de invocar o totem, indicar candidatos para a matilha dos dois.

INGRID

Ingrid deu o comando e os guardas de sua escolta começaram a montar acampamento onde ela indicará. Não eram rápidos, faltava-lhes experiência e habilidade. Nem sequer eram Parentes. Era irônico que uma Fúria Negra como ela estivesse cercada de homens que mal eram capazes de se defender.

Enquanto eles trabalhavam, Ingrid convocou aleatoriamente um dos soldados para acompanhá-la.

Embora nunca tivesse estado na divisa do Caern, Ingrid sabia que ele ficava na floresta ao norte de Londres. Ela tanto poderia cruzar a cidade pelo seu meio quanto contornar por fora; ambos os caminhos eram longos e demorados, mas Ingrid tinha o dia inteiro para perambular. Uma vez que estivesse dentro da Divisa, poderia fazer o uivo de apresentação antes de entrar no Caern.

Sua única preocupação seria onde deixar o seu guarda-costas, já que ele não poderia nem se aproximar dá divisa.

DIMITRI

Dimitri viajou muito até chegar à infecta cidade inglesa de Londres. Nós arredores dá cidade, apesar da dificuldade, ainda era possível invocar espíritos para orientar seu caminho. Estes o levaram à divisa do Caern, uma grande floresta ao norte de Londres.

A sensação ao penetrar a divisa do Caern era a de adentrar uma brisa morna como o hálito de um predador, causava um temor de expectativa junto com uma certa aceitação do destino no ciclo da vida, um conforto em continuar uma tradição de épocas imemoriais. Tudo isso Dimitri sentiu ao adentrar a floresta.

O theurge executou o uivo de apresentação. Outro uivo, grosso e forte, respondeu. Em minutos, o Vigia do Caern chegou onde Dimitri estava. Era um homem enorme, com um físico privilegiado e longos cabelos loiros quase brancos.

Talvez o cansaço ou a irritação tenham tirado a atenção à etiqueta de Dimitri, que se apresentou de modo curto e simples. O Vigia olhou-o com uma expressão interrogadores, como se esperasse ouvir mais. Como mais não veio, ele sorriu com o canto da boca e disse:

- Um Presa de prata que fala pouco e não recita todos os seus títulos?!? Você é uma pessoa rara, jovem garou! Não sei se isso é bom... Aliás, eu sou Ian Lancaster, Escudo do Valhala, ahroun nascido de mulher, Ancião Fenrir e Vigia do Caern do Leão de Prata! Você tem minha permissão para se juntar à seita durante a Assembléia, pode ficar na floresta se quiser. Entretanto, se procura o Grande Ancião, é melhor ir à cidade; reinar sobre os humanos exige muito tempo vivendo entre eles.

Dimitri poderia explorar a divisa física e espiritual do Caern, aprender mais com Ian ou ir à cidade tentar falar com o rei.
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Qua Maio 03, 2017 2:01 pm

Embora nunca tivesse estado na divisa do Caern, Ingrid sabia que ele ficava na floresta ao norte de Londres. Ela tanto poderia cruzar a cidade pelo seu meio quanto contornar por fora; ambos os caminhos eram longos e demorados, mas Ingrid tinha o dia inteiro para perambular. Uma vez que estivesse dentro da Divisa, poderia fazer o uivo de apresentação antes de entrar no Caern.

* Ingrid não queria seguir pela cidade, sentia horror e repúdio à aquele lugar. A cidade lhe era imunda especialmente agora que ela estava segura e crescendo. Ela decidia andar circundando a cidade, ela aproveitava a longa caminhada para curtir um pouco do ar puro sem a sujeira da corrupção.

Sua única preocupação seria onde deixar o seu guarda-costas, já que ele não poderia nem se aproximar dá divisa.

Ingrid caminhava em direção a divisa do Caer quando olhava para a jovem escolta, ela parava próxima à floresta e se voltava para sua escolta infante. Com um olhar sério e autoritário, ela o pedia para esperar ali.
-- Fique aqui, eu quero rezar à sós na floresta. Muitos parentes meus sucumbiram nesse lugar e quero homenageá-los em particular...
Ditas aquela pequena mentira, a loba adentrava o Caern. Ela imaginava como o coitado reagiria ao ouvir o seu uivo... A loba se dirigia até um local adequado e lá uivava anunciando sua presença.
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por kausBR em Qua Maio 03, 2017 8:59 pm

Alexyus escreveu:A sensação ao penetrar a divisa do Caern era a de adentrar uma brisa morna como o hálito de um predador, causava um temor de expectativa junto com uma certa aceitação do destino no ciclo da vida, um conforto em continuar uma tradição de épocas imemoriais. Tudo isso Dimitri sentiu ao adentrar a floresta.
Mesmo com a influencia do Caern, e a percepção do algo maior que sempre moveram Dimitri, ele ainda estava irritado, pelas cidades e seria dificil esquecer, afinal mesmo o espirito que o estava guiando tinha traços das cidades.
Alexyus escreveu:- Um Presa de prata que fala pouco e não recita todos os seus títulos?!? Você é uma pessoa rara, jovem garou! Não sei se isso é bom... Aliás, eu sou Ian Lancaster, Escudo do Valhala, ahroun nascido de mulher, Ancião Fenrir e Vigia do Caern do Leão de Prata! Você tem minha permissão para se juntar à seita durante a Assembléia, pode ficar na floresta se quiser. Entretanto, se procura o Grande Ancião, é melhor ir à cidade; reinar sobre os humanos exige muito tempo vivendo entre eles.
Dimitri, após perceber que sua irritação estava-o traindo, respira fundo "Não posso deixar essas crias da weaver e wyrm me permitir errar..., mas espera... Um ancião é o vigia do portão? Quem são mesmo os mais destacados garous desse caern?" e segue dizendo:
-Sim, Ancião, perdoe-me por isso, essas cidades afloram o dom que luna nos deu, a fúria! Abomino esses criadouros de malditos! Dimitri respira novamente e fala mais calmamente, após exalar seu desgosto: -Sou nascido lobo na lua crescente, porto o posto de Cliath, sou da casa da lua crescente e carrego os segredos da cabana da lua.
Dimitri da um sorriso fraco e diz:
- Realmente um Caern da realeza, vossa senhoria, um ancião, poe-se como um Vigia do portão. Estou muito honrado em conhece-lo Escudo do Valhala, um ancião que pelo nome honra suas tradições e carrega consigo a grande missão de simplismente proteger... Mas senhor, perdoe minha ignorância, mas não há um conselho de anciões nesse Caern, sei que o grande rei governa o protetorado, mas o Caern sede não tem sua autonomia, sendo franco, abomino cidades, tendo me apresentado gostaria de saber enquanto andamos, até a Seita, o que aconteceu e o que está para acontecer?

Após as explicações de Ian, e chegar até o Caern, Dimitri pedi para ser dispensado e tomando a forma de lobo, caça algo na floresta e logo depois explora o ambiente umbral vendo como está as coisas após o ultimo conflito, tomando nota dos espíritos da região e dialogando com eles, para conseguir alguma intimidade e informação, sempre com etiqueta e um sorriso de intimidade.

*Dimitri tenta, reduzir sua falha com explicações e um melhor trato, também tenta obter a boa vontade de Ian e quem sabe descobrir algumas coisas a mais, sobre a situação, com Ian e/ou com os espíritos...
avatar
kausBR

Mensagens : 18
Data de inscrição : 01/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Nataly em Sex Maio 05, 2017 3:10 am

Amora até gostava de ver o temor respeitoso que os humanos tinham por eles, isso daca a impressão de que o ciclo da vida estava certo, com o fraco respeitando o forte. Ela terminou de beber a cameca de vinho que peglu para não abusar da hospitalidade e falou pro ULF

- Vamos sakr daqui e conversar lá fora!

Amora ia esperar estarem na rua para conversar mais livremente:

-Então, eu acho que a gente deve tentar que o Grande Fwnris seja nosso totem. Ele não vai aceitar nenhum garou bunda-mole, então a gente teria certeza de ter jma matilha forte! Infelizmente nessa seita o Mestre de Rituais é um filho de Gaia da Igreja chamado Samuel,vamos ter que contar com ele para fazer o ritual dw totem pra gente. Espero que ele não ofenda o Grande Fenris! Vamos procurar esse filho de Gaia? Ele deve estar na catedral...
avatar
Nataly

Mensagens : 24
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por miltonviziak em Sex Maio 05, 2017 4:42 pm

Ulf estava bebendo uma caneca de cerveja, quando Amora o chamava para conversar do lado de fora da taverna.La dentro todos olhavam pra eles com olhar de respeito, parecia que eles sabiam o que nós podiamos nos tornar.
Amora esperou até chegarmo na parte de fora e disse:


-Então, eu acho que a gente deve tentar que o Grande Fwnris seja nosso totem. Ele não vai aceitar nenhum garou bunda-mole, então a gente teria certeza de ter jma matilha forte! Infelizmente nessa seita o Mestre de Rituais é um filho de Gaia da Igreja chamado Samuel,vamos ter que contar com ele para fazer o ritual dw totem pra gente. Espero que ele não ofenda o Grande Fenris! Vamos procurar esse filho de Gaia? Ele deve estar na catedral...

Teremos que nos mostrar muito dignos, para o grande fenris nos aceitar, não só nós,mas todos que se tornarem membros da matilha.
Vamos procurar esse mestre filho de gaia, la na catedral primeiro.
avatar
miltonviziak

Mensagens : 34
Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Dom Maio 07, 2017 12:08 pm

AMORA & ULF

Amora e Ulf foram à principal igreja de Londres, a Catedral de Saint Paul.
Spoiler:

Lá, após algumas indagações, eles encontraram o padre Patrick.
Spoiler:

- Disseram-me que procurais pelo Bispo Samuel. Vossa Reverendíssima não está aqui, foi à floresta preparar-se para a assembleia vindoura. Quereis que vos leve até Lá?


INGRID

Enquanto dava a volta na cidade, margeando o rio Thames, Ingrid percebia o jovem soldadinho tentando acompanhá-la om dificuldade. Ele estava tão resfolegante quando elao deixou na beida da floresta que nem sequer conseguiu articular uma palavra, limitando-se a acenar positivamente com a cabeça.

Quando estava na distância certa, ela uivou o Uivo de apresentação, anunciando-se. A sensação ao penetrar a divisa do Caern era a de adentrar uma brisa morna como o hálito de um predador, causava um temor de expectativa junto com uma certa aceitação do destino no ciclo da vida, um conforto em continuar uma tradição de épocas imemoriais. Não demorou muito para que o uivo fosse respondido pelo Vigia do Caern, autorizando sua entrada.

Ela encontrou Ian Escudo de Valhalla acompanhado de um garou que ela não conhecia, mas que possuía grande Raça Pura.

OFF: Continua abaixo.

DIMITRI

O ancião Ian gostou de ver que Dimitri lembrava de como manter a etiqueta e ouviu atentamente as perguntas dele.
- Realmente um Caern da realeza, vossa senhoria, um ancião, poe-se como um Vigia do portão. Estou muito honrado em conhece-lo Escudo do Valhala, um ancião que pelo nome honra suas tradições e carrega consigo a grande missão de simplismente proteger... Mas senhor, perdoe minha ignorância, mas não há um conselho de anciões nesse Caern, sei que o grande rei governa o protetorado, mas o Caern sede não tem sua autonomia, sendo franco, abomino cidades, tendo me apresentado gostaria de saber enquanto andamos, até a Seita, o que aconteceu e o que está para acontecer?

- Aconteceu muito, e ainda mais, por aqui, jovem Sorriso de Prata. Uma invasão de humanos aliados à demônios da Wyrm nunca visto antes na história dessa nação aproveitou um momento de fraqueza da seita, quando seus melhores defensores estavam dispersos pela terra cumprindo demandas, e atacou muitas cidades e vilas. Há um ano atrás, eles cercaram essa cidade e obrigaram o rei a convocar qualquer garou disposto a ajudar. A luta foi vencida, mas os demônios da Wyrm não apareeram no campo de batalha, e ainda não sabemos o que aconteceu com eles. Mas felizmente o caern não foi tocado, como pode ver, estamos separados da cidade e eles não ousaram chegar tão longe dela. Desde então, temos reorganizado a seita. Embora tenhamos muitos garous experientes, há lugar para jovens guerreiros provarem seu valor e ascenderem na seita. É isso que deseja?

Mas antes que pudesse responder, um uivo de apresentação prendeu a atenção do Vigia, e ele se ocupou em respondê-lo antes de poder se concentrar novamente no presa de prata.

Dentro em pouco, Dimitri viu uma jovem mulher ruiva em vestes luxuosas aparecer diante deles vinda da direção da cidade.


INGRID & DIMITRI

Ian saudou Ingrid e apresentou-a:

- Saudações, jovem Passos Noturnos. É bom ver que atendeu o chamado para a Assembleia. Este é Sorriso de Prata, um também recém-chegado.

OFF: Livre para conversarem.
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Seg Maio 08, 2017 1:56 pm

- Saudações, jovem Passos Noturnos. É bom ver que atendeu o chamado para a Assembleia. Este é Sorriso de Prata, um também recém-chegado.
Ingrid jogava fora qualquer enfeite para prender os cabelos e depois os balançava ao vento, curtindo todo aquele pequeno momento de liberdade em poder ser finalmente uma loba, quando via o que talvez fosse o guardião do Caern. A loba olhava para o jovem com ele e achava graça do nome, julgando ser uma piada infeliz para os Garous.

-- Sorriso de prata? Hahaha Um nome engraçado. E.. bem é claro que eu viria, uma Fúria Negra jamais foge de uma luta.

Ingrid olhava para o jovem e suspirava, ela cruzava os braços e o olhava de cima abaixo

-- Me chamo Ingrid, sirvo Gaia com o nome Passos Noturnos, Ragabash das Fúria Negras. Prazer.
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Nataly em Ter Maio 09, 2017 11:10 pm

Para o gosto de Amora que cresceu como uma camponesa, aquela cidade estava cheia demais. E o prédio da catedral era muito metido.

Lá dentro não encontraram o tal fklho de Gaia Samuel. Tiveram de se concentrar em falar com um certo Padre Patrick, que falava de um jeito tão metido quanto o préxio em que morava.

Amora olhou de lado para Ulf antes de aceitar a oferta de Patrick. Quando fosse seguro perguntar, ela ia falar bem baixinho:

- Então você também é garou? Ou é um parente?
avatar
Nataly

Mensagens : 24
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por kausBR em Qui Maio 11, 2017 4:25 pm

Cetza escreveu:-- Sorriso de prata? Hahaha Um nome engraçado. E.. bem é claro que eu viria, uma Fúria Negra jamais foge de uma luta.

Dimitri deu um sorriso enigmatico"Acho que ela não gostou do meu nome..."  e disse:
-- Se você já viu um lobo sorrindo a noite então você entenderá.

Cetza escreveu:-- Me chamo Ingrid, sirvo Gaia com o nome Passos Noturnos, Ragabash das Fúria Negras. Prazer.

O sorriso de De dimitri se torna então mais brilhante "Uma ragabash! Isso explica tudo, péssimo momento para encontrar um dos questionadores, pelo menos ela parece ser uma lupina" e diz:
--  Bem, sou Dimitri "Sorriso de prata" Tvarivich, nascido lobo sob a sorriso de luna com o sangue dos servos do poderoso falcão. Então, Passos Noturnos representa alguma seita também?
avatar
kausBR

Mensagens : 18
Data de inscrição : 01/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Sab Maio 13, 2017 7:55 pm

-- Viste a cidade? Queria eu que toda a floresta cobrisse aquele lugar fedido... Os duas patas-só servem para uma única coisa... FESTAS! Ha! nisso eles são bons...
Ingrid se aproximava dos dois, completamente enrolada e sem jeito com aquele vestido longo. Ela ouvia atentamente toda a apresentação longa e enfadonha do Presa de Prata.

-- Ha!...Um dos falcões... Sempre achei que vocês preferissem ficar em palácios do que nos campos... Ingrid lançava um sorriso malicioso após a observação BEM inconveniente.
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por miltonviziak em Dom Maio 14, 2017 7:58 pm

Após terem procurado um pouco, Ulf e Amora encontraram um padre, que dizia que sabia onde o bispo Samuel estava e que podia nos levar ao encontro dele.

Ulf, junto com Amora confirmou:
Certo padre, nos leve até ele.

Ulf viu que Amora olhou de canto pra ele, deu pra perceber que ela tinha algo em mente.
O que sera que ela quer fazer ? Ulf pensou.





avatar
miltonviziak

Mensagens : 34
Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Dom Maio 21, 2017 2:23 pm

O Padre Patrick chamou um de seus sacristãos e deu algumas recomendações, dizendo que iria passar algumas horas visitando os pobres fora da cidade. Em seguida, ele guiou os dois guerreiros nórdicos, Amora e Ulf, para fora da catedral, andando pelas ruas estreitas e lotadas de Londres. As pessoas da cidade faziam reverências e beijavam a mão do padre por todo o caminho, pedindo bençãos divinas, mas poucos o conheciam por nome. Mesmo sendo um garou, Patrick parecia não inspirar tanto temor nos humanos quanto Ulf e Amora.

Ele os levou até os limites da cidade, cruzando o rio Thames e se afastando dos bairros mais periféricos, até chegar à floresta ao norte da cidade. Ali, por ordens reais, era proibido caçar, cortar madeira, colher frutas ou raízes; invasores eram levados para as masmorras e poderiam ser executados.
Os dois fenrires sentiram a sensação familiar de cruzar a divisa do caern, e sabiam que estavam num dos lugares de poder de Gaia. A vegetação era mais viva e pujante, os pássaros cantavam mais alto e longe a visão, as folhas caídas no chão afundavam no solo fofo e macio. Para os dois fenrires, era uma mudança muito agradável em relação ao ambiente da cidade.

O Padre Patrick dirigiu-se a um ponto definido, e enquanto se aproximavam, tanto pelos sons quanto pelos cheiros, Amora e Ulf sabiam que havia outros garous lá. Eles viram Ian McAllister junto com uma moça ruiva que amora já conhecia, Ingrid, e também um garou que nenhum deles conhecia, mas cuja raça pura era perceptível logo à primeira vista, Dimitri

Dimitri e Ingrid viram um padre seguido de um casal de guerreiros nórdicos. Ingrid se lembrava de ter lutado ao lado de Amora.

Ian:


- Boa tarde, Escudo de Valhala - cumprimentou o padre - e a vós também, jovens garous. Sou Patrick Oração de Gaia, hominídeo phillodox Filho de Gaia fostern. Quem sois vós?

Ian permitiu que Ingrid e Dimitri se apresentassem e Patrick voltou a falar:

- Esses fenrires estão à procura de Canção dos Falecidos. Sei que ele veio para o caern, pode nos dizer onde encontrá-lo?

O Vigia respondeu de má vontade:

- Há rituais que são necessários antes da assembleia, e o Mestre do Ritual foi cuidar disso. Voltem depois!


Mas uma voz às costas de Ian interrompeu-o:

- Na verdade, já terminei com meus deveres, meu caro fenrir! Posso atender qualquer um que precisar de minha ajuda...


O homem que surgiu às costas de Ian era velho, vestido de forma eclesiástica, com capa e túnica brancas marcada com uma cruz branca sobre fundo vermelho, símbolo que também aparecia na empunhadura da espada que trazia embainhada à cintura.

Canção dos Falecidos:


- Sou Samuel Endsong, chamado de Canção dos Falecidos pelos garous, mas me chamem como quiserem. Sou o Mestre do ritual da Seita do Leão de Prata. Como posso ajudá-los, jovens garous?
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Dom Maio 28, 2017 10:03 am

Dimitri e Ingrid viram um padre seguido de um casal de guerreiros nórdicos. Ingrid se lembrava de ter lutado ao lado de Amora.
- Boa tarde, Escudo de Valhala - cumprimentou o padre - e a vós também, jovens garous. Sou Patrick Oração de Gaia, hominídeo phillodox Filho de Gaia fostern. Quem sois vós?
Ingrid, enquanto conversava com o Presa de Prata, notava a presença do Padre e de outros dois garous, sendo um deles bem conhecido dela, Amora.--
Padre Patrick, ou melhor... Oração de Gaia.
Como de costume,
a lupina reverenciava o padre e lhe beijava sua mão e após se apresentar, ela se voltava para Amora, uma velha companheira de batalha.
-- Sou Ingrid Passos Noturnos, Cliath nascida loba sob a o olhar da Lua Nova e acolhida pelas Fúrias Negras. Amora,
é bom revê-la... e quem é este que a acompanha?




avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por miltonviziak em Seg Jun 05, 2017 12:35 pm

Seguindo o padre, Ulf via todo mundo parando e pedindo a atenção do padre e pensou :Ainda bem que não sou padre, não iria aguentar todo mundo me parando toda hora.
Chegando ao ponto defenido, Ulf sentiu a presença de varios garous e o ambiente em que estavam chegando, era bem melhor que o da cidade.
Chegando ao local avistamos Ian, junto com outros garous, Ulf não conhecia nenhum deles, depois das apresentações e o vigia de má vontade, surgiu atras de todos quem estavamos procurando.


- Sou Samuel Endsong, chamado de Canção dos Falecidos pelos garous, mas me chamem como quiserem. Sou o Mestre do ritual da Seita do Leão de Prata. Como posso ajudá-los, jovens garous?

Eu sou Ulf e ela é a Amora e estamos a procura de alguem que possa fazer um ritual de totem para matilha, pode nos ajudar ?
avatar
miltonviziak

Mensagens : 34
Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Nataly em Qua Jun 07, 2017 4:57 am

Amora sevuiu com Ulf atras do padre, ignorando a multidão que insistia em interromper a caminhada. Quando sairam da cidade e chegaram no caern, eles encontraram o Vigia que tambem era um fenrir. Ele estava junto com um presa de prata e uma furia negra que ela ja conhecia.

Depois que o padre fez as apresentacoes, Amora cumprimentou Ingrid:

-Ola, Passos Noturnos! Ficou mais forte desde a ultima batalha?

O Vigia nao queria ajudar muito, mas o mestre do ritual chegou de repente e era bem mais prestativo. Ele era velho mas carregava uma espada e por isso Amora lhe deu respeito. Ela não entendia nada sobre os simbolos de cruz que ele tinha, mas com certeza tinha a ver com a igreja.

Depois que Ulf falou, Amora completou:

- Mas não queremos qualquer totem, queremos o Grande Fenris! Acha que consegue invocar ele? Se nós dois não formos suficientes, podemos procurar outros cliaths sem matilha que sejam dignos de lutar ao nosso lado...
avatar
Nataly

Mensagens : 24
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Sab Jun 10, 2017 10:42 am

* Ingrid olhava para os dois que chegavam e se lembrava de Amora, uma valente guerreira que lutara para proteger os reis garous das ilhas britânicas. Com um sorriso um tanto maroto enquanto pensava em que responder à velha companheira de batalha.*

-- Bem... depois dois ocorridos daquela luta, a minha vida mudou bastante... Comandar uma área é muito mais tedioso do que pensava... Isso que dá quando duas-patas pensam que podem agir como lobos...

* Ingrid sorria com a sua comparação dos campos de caça dos lobos com a forma de administração dos humanos. Ela ficava curiosa com a ideia daqueles dois garous em terem um totem. *

-- Um totem?! Isso seria ótimo... podemos ser uma pequena alcateia que serve ao grande Fenris...

" Um totem selvagem... o grandes Fenris... Amora realmente sabe o que é bom."

avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Alexyus em Dom Jun 18, 2017 11:11 pm

Samuel confiou a barba, ouvindo o pedido dos fenrires. Ian, por outro lado, arregalou os olhos e prestou ainda mais atenção na conversa. O theurge respondeu ponderadamente:
- Vocês esperam grandes coisas, jovens garous! É claro que posso invocar o Grande Vendia, como nosso Escudo de Valhala aqui pode confirmar. Porém ser aceitos por ele é uma tarefa que cabe unicamente a vocês. Dois ou três de vocês é um número baixo para suportar a responsabilidade desse totem. Se desejam mesmo aliar-se a ele, devem encontrar outros como vocês. E pensem no motivo pelo qual querem se aliar ao Gentis, ele certamente perguntará e esperará uma boa resposta. Se encontrarem alguém até a Assembleia, poderei invocá-lo para vocês na própria assembleia, durante a quebra do osso. Mas se desejarem mais tempo para se prepararem, isso é igualmente bom...
avatar
Alexyus

Mensagens : 133
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Invasões Bárbaras 2

Mensagem por Cetza em Ter Jun 20, 2017 10:32 am

Ingrid cruzava os bracos sem entender muito bem o por que deles precisarem de mias lobos para invocar o grande Fenris. -- Explique-se Samuel, por que precisaremos de mais lobos e qual é o fardo pesado que teremos que carregar por tê-lo como nosso totem? E.. por acaso há uma outro lobo a ser convidado para a assembléia?
avatar
Cetza

Mensagens : 42
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum