MAR EM CHAMAS

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

MAR EM CHAMAS

Mensagem por Alexyus em Dom Abr 08, 2018 2:47 pm


"O naufrágio do navio petroleiro SS Seadragon, a apenas 10 milhas náuticas do porto de Santos, seguido de vários focos de incêndio, resultou no derramamento de milhares de litros de petróleo bruto diretamente na água do mar. O caso repercutiu no mundo todo, e técnicos brasileiros e estrangeiros trabalham incansavelmente para conter a mancha negra que chega a ser visível da praia, enquanto ambientalistas já classificam o incidente como o maior desastre ecológico no território nacional desde o rompimento da barragem de Mariana. As casuas do acidente ainda são investigadas pelas autoridades, mas permanecem desconhecidas."


KLAUSS KRUGGER

Klauss recebeu a notícia quando estava em Fonte Fria.

Julián o chamou e disse:

- Recebemos a informação agora por telefone. A seita da Muralha Verde tem provas de que o vazamento do petroleiro foi causado por uma colmeia de Dançarinos da Espiral Negra, talvez para encobrir algum ritual maldito ou simplesmente para espalhar a destruição. É uma seita pequena mas aguerrida, com poucos combatentes. Eles têm vários parentes em perigo imediato, além de todas as crises ambientais que o vazamento causou. A polícia e os jornais estão por toda parte, o que dificulta muito a ação. Mas infelizmente não temos outros garous disponíveis além de você, Justiça de Prata. Seja nossa resposta a esse chamado e lute bem, nós enviaremos reforços assim que possível.

Sobre-las-Nubes tinha feito preparativos para Klauss: Laura tinha um carro que ele podia usar para chegar a Santos, onde deveria procurar a uktena Mudança-de-Lua na praia de Iguatemi Martins, no atracadouro de lanchas. Ela atendia pelo nome humano de Akíssia Nakayama.

VIRGÍNIA DAWN HOPE


Virgínia foi avisada por NEve Prateada quando estava com ele no Caern do Urso Pardo.

- Levante-se, filha! Uma seita nas terras do Sul, no litoral do Brasil, pedem ajuda. Os espíritos mensageriso dissseram que os Dançarinos da Espiral Negra causaram um grande desastre no mar perto da praia para encobrir a realização de um poderoso ritual. Há poucos garous lá para salvar humanos e parentes, proteger o ambiente da contaminação e ainda combater os Espirais Negras. Você já conhece aquelas terras e pode ser de grande ajuda para eles. Se estiver pronta, abrirei a Ponte da Lua esta noite e lhe indicarei o caminho até a seita da Muralha Verde, onde você deve encontrar a theurge Mudança da Lua.
avatar
Alexyus

Mensagens : 536
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Alexyus em Seg Abr 09, 2018 9:04 pm

SHAÍRA

Shaíra foi comunicada da crise por uma carta de Ahmed, entregue em Fonte Fria:

Carta de Ahmed:
"Passos sobre a Areia,

É hora de você fazer jus ao nome e correr sobre as areias do mar. Estou na Seita da Muralha Verde, e esses camaradas realmente precisam de ajuda. A situação está preta por aqui, então venha logo e traga seu arco!

Você poderá me localizar no ancoradouro de lanchas, na praia de Iguatemi-Martins, em Santos, ao procurar por uma mulher chamada Akíssia.

Espero Vê-la em breve!

Com afeto,

Ahmed"

Agora Shaíra tinha de decidir se pediria ajuda ou se manteria em segredo a carta de seu amor (não tão) secreto...
avatar
Alexyus

Mensagens : 536
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Nataly em Qui Abr 12, 2018 5:18 am

Virgínia atendeu o chamado de seu mentor, Garra Celeste, e se preparou o melhor que pôde para voltar ao Brasil.

Já tinha alguma experiência lá, mas nunca tinha visto os mares do sul. Não sabia bem o que esperar, mas decidiu dedicar um vestido leve de verão. Era sempre quente por lá.

Quando a noite caiu, ela procurou o velho theurge dos Filhos de Gaia e declarou:

- Estou pronta para partir, Garra-rhya!
avatar
Nataly

Mensagens : 82
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Cetza em Qui Abr 12, 2018 9:30 pm

* Shaíra recebia a notícia de Ahemd de que as coisas em Seita da Muralha Verde não estavam boas, ela lia a carta de Ahmed e logo ficava com saudades dele, fazia tempo que não se viam sendo a última vez no rito de passagem de uns filhotes... Porém naquela carta Ahmed não falava de amor, mas sim de lutar junto dele e isso inspirava Shaíra.*
" Lutar ao lado do Ahmed... novamente... era tudo o que mais poderia querer. Tenho tantas coisas para dizer a ele... "
* Shaíra pegava algumas roupas mais leves e seu arco. Ela colocava o arco num estojo todo enfeitado com padrões árabes e usava um khimar para não chamar atenção mais do que o necessário... ela se dirigia até o ponto de encontro com Akíssia, ela ficava se perguntado se essa moça esteve com Ahmed... *

(roupa para usar na praia)
(aljava)
(Khimar)
avatar
Cetza

Mensagens : 210
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 33

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Klauss K. em Sex Abr 13, 2018 8:47 am

- Recebemos a informação agora por telefone. A seita da Muralha Verde tem provas de que o vazamento do petroleiro foi causado por uma colmeia de Dançarinos da Espiral Negra, talvez para encobrir algum ritual maldito ou simplesmente para espalhar a destruição. É uma seita pequena mas aguerrida, com poucos combatentes. Eles têm vários parentes em perigo imediato, além de todas as crises ambientais que o vazamento causou. A polícia e os jornais estão por toda parte, o que dificulta muito a ação. Mas infelizmente não temos outros garous disponíveis além de você, Justiça de Prata. Seja nossa resposta a esse chamado e lute bem, nós enviaremos reforços assim que possível.

*Klauss pensa por alguns segundos e questiona.*

-- Com toda a policia e jornais em cima há alguma identidade falsa ou alguma ONG que possa me aceitar como voluntário para que eu possa justificar minhas idas e vindas em meio ao desastre ambiental *sorri* caso não tenha eu me viro. Vou pegar minha mochila e estou pronto para partir. E agradeço pelo carro, mas eu prefiro continuar com a moto com ela tenho mais mobilidade para me deslocar até mesmo por trilhas caso seja necessário.

*Mochila nas costas capacete e segue rumo a Santos para a praia do Iguatemi.*

avatar
Klauss K.

Mensagens : 341
Data de inscrição : 11/07/2016
Idade : 38

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Alexyus em Sab Abr 14, 2018 9:55 pm

KATE

Kate estava em sua casa, em São Paulo quando sua mãe, Mia Regan, entrou com uma carta na mão, parecendo exaltada:

Spoiler:

- Kate, chegou uma carta para você! Abra agora! É da família!

O jeito como ela enfatizou a palavra fez Katerine perceber que era ssunto garou, mas sua mãe era muito discreta em usar palavras que não comprometessem o Véu.

A carta estava escrita à mão, com uma letra caprichada lifeiramente tremida.

"Querida Katerine,

Nossos parentes em comum me deram seu endereço. Sei que nossa família é miscigenada e muito numerosa, mas há poucos de nós no Brasil. Me informaram que você tem talentos que podem ser muito úteis, já que ninguém aqui na minha região nasceu com a sorte virada para a Lua como você. Eu sou formada em Biologia e trabalho como guia turística em parques de Mata Atlântica no litoral de São Paulo, mas tivemos problemas recentemente com uma Colmeia próxima. Qualquer ajuda seria bem-vinda nesse momento, quanto antes melhor. Você pode entrar em contato comigo através de uma mulher chamada Akíssia, que trabalha nas docas da praia de Iguatemi Martins, em Santos. Espero encontrá-la pessoalmente muito em breve!

Respeitosamente,
Alejandra López"

Kate poderia consultar os anciãos ou seus futuros companheiros de matilha, além de pesquisar mais sobre o local. Mas a convocação, apesar das palavras disfarçadas, era bem fácil de decifrar.


KHAM

Khamaseen recebeu uma mensagem onírica de Braço-de-Aranha, o ancião dos Senhores das Sombras que às vezes lhe dava algumas dicas (e sempre queria algo em troca disso).

Enquanto sonhava, ele ouviu o uivo do velho phillodox.

- Fúria-da-Tempestade! Uma hominídea de nossa tribo requisitou a sua ajuda. O nome humano dela é Monique Melo, mas seu nome garou é Filha-do-Trovão. O território dela fica no litoral de São Paulo, uma região de Mata Atlântica, na cidade de Santos. PAra contatá-la, você deve encontrar uma mulher chamada Akíssia, numa praia chamada Iguatemi Martins. Parta agora!

Quando acordou, Kham lembrava-se claramente do sonho, percebendo que não era algo comum, mas algum sinal espiritual mandado pelo ancião.


RAUL

Raul ainda tentava achar um lugar para ficar quando reencontrou Tito. O velho estava armando alguma, RAul logo percebeu, e Tito não se fes de rogado:

Spoiler:

- Ei, garoto, tenho um trabalhinho pra você! Tem uma zona rolando lá em Santos, perto da praia. Se você lesse jornais, poderia ter percebido alguma coisa. Mas o que você precisa fazer é simples: pegue essa passagem de ônibus, va até Santos e encontre uma mulher chamada Akíssia na praia de Iguatemi Martins. Ela vai te dizer o que fazer. Acha que dá conta?


TODOS

Santos é um município portuário sede da Região Metropolitana da Baixada Santista, localizado no litoral do estado de São Paulo, no Brasil. Com a maior participação econômica da citada região, abriga o maior porto da América Latina, o principal responsável pela dinâmica econômica da cidade ao lado do turismo, da pesca e do comércio. A cidade tem uma área continental e uma insular, onde ficava a praia que todos procuravam.




Logo ao chegar, notava-se como a cidade era grande, misturando arquitetura portuguesa antiga com construções modernas e imponentes, mas também muitos bairros pobres e degradados. Mas o endereço das docas que procuravam era no bairro Vila Nova, perto do centro da área insular, quase de frente para o porto de Santos.



Era um dia nublado de temperatura na casa dos 23°, mas o cheiro de fumaça no ar se fundia ao aroma da maresia, roubando a impressão de cidade balneário.

Klauss chegou de moto. Virgínia veio andando depois de se perder em atalhos mais uma vez. Shaíra, chamando a atenção de todos à volta, também veio caminhando. Kate chegou de carro. Kham andava desajeitadamente na forma humana. E RAul teve que caminhar bastante desde a rodoviária.

Perto de todas as docas, portos e atracadouros de Santos, as catraias, pequenas lanchas que transitavam nos canais fazendo a travessia da cidade de Santos até a outra margem na cidade de Guarujá, eram visões um pouco decepcionantes.



Havia vários homens trabalhando no embarque, cobrança e condução dos passageiros, mas nenhuma mulher.

Caso perguntados sobre Akíssia, qualquer deles responde:

- Ela ainda não chegou.



OFF: Todos vocês chegam quase ao mesmo tempo. Podem descrever a viagem ou interagir entre si, se desejarem.


Última edição por Alexyus em Seg Abr 30, 2018 11:54 am, editado 1 vez(es)
avatar
Alexyus

Mensagens : 536
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Kurosatsunomori em Seg Abr 16, 2018 12:37 am

- Fúria-da-Tempestade! Uma hominídea de nossa tribo requisitou a sua ajuda. O nome humano dela é Monique Melo, mas seu nome garou é Filha-do-Trovão. O território dela fica no litoral de São Paulo, uma região de Mata Atlântica, na cidade de Santos. PAra contatá-la, você deve encontrar uma mulher chamada Akíssia, numa praia chamada Iguatemi Martins. Parta agora!

Quando acordou, Kham lembrava-se claramente do sonho, percebendo que não era algo comum, mas algum sinal espiritual mandado pelo ancião.

"Filha-do-Trovão, que nome legal... Vou indo, com o velho me dizendo o que fazer facilita de eu planejar o meu dia. Vou de ônibus, no caminho pesquiso alguns mapas."

Klauss chegou de moto. Virgínia veio andando depois de se perder em atalhos mais uma vez. Shaíra, chamando a atenção de todos à volta, também veio caminhando. Kate chegou de carro. Kham andava desajeitadamente na forma humana. E RAul teve que caminhar bastante desde a rodoviária.

Kham segue em direção aos outros garous por lembrar de esbarrar com eles em situações anteriores, ainda não tinha dominio do idioma e por simpatia acenou para todos e disse um 'oi' tímido tentando esconder seu sotaque russo. Como ja possui intimidade com Kate, se aproxima dela com um sorriso, sem saber o que está acontecendo observa o movimento do local antes de perguntar para alguém.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 167
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Krauzer em Seg Abr 16, 2018 4:23 pm

Raul caminhava pelas ruas de São Paulo com um cobertor velho, à procura de algum canto para passar a noite, quando encontra Tito.

Raul tem um misto de sentimentos ao ver o velho. De certa forma estava aliviado por ter um amigo por perto, mas também estava furioso pois ele havia sumido sem deixar rastros nas últimas semanas.

- Por onde você andou, velho safado?

Como se não tivesse ouvido nada, Tito continua:

- Ei, garoto, tenho um trabalhinho pra você! Tem uma zona rolando lá em Santos, perto da praia. Se você lesse jornais, poderia ter percebido alguma coisa. Mas o que você precisa fazer é simples: pegue essa passagem de ônibus, vá até Santos e encontre uma mulher chamada Akíssia na praia de Iguatemi Martins. Ela vai te dizer o que fazer. Acha que dá conta?

- Oras, mas você só aparece para me arranjar encrenca, né?! Pelo menos trouxe algum rango?

Independente da resposta de Tito, Raul aceita o serviço, mas caso ele não tenha trazido nada, Raul esbraveja:

- Mas e por que você mesmo não faz isso, seu trambiqueiro? Sim, eu topo, tudo pela grande mãe Gaia, não é mesmo?! Só espero que você tenha algo para mim quando eu voltar!


***


Era a primeira vez que Raul viajava para fora da cidade. Por sorte, em sua última missão, conseguiu alguma grana para comprar roupas melhores, do contrário, é provável que nem mesmo o deixassem entrar no ônibus.

Pela janela ele podia ver que à sua volta havia uma grande área florestal entre São Paulo e Santos. Ele quase se arrependeu de ter aceito vir de ônibus, seria interessante explorar áreas verdes para variar um pouco, e talvez a umbra destas regiões oferecesse um ambiente melhor do que aquele monte de aranhas da Weaver e monstruosidades de lixo da Wyrm que assolavam as regiões umbrais da capital.

Ao chegar, o pobre Roedor sabia que tinha uma grande caminhada pela frente. Ele aproveita este momento para observar bem este local desconhecido. A cidade não era tão diferente da sua, era grande, mas não tanto quanto a capital, o cheiro de fumaça e poluição também era forte, mas o cheiro de maresia também encontrava suas narinas quando ele se aproximava das docas.

Era uma cidade cinzenta, assim como São paulo, e as docas passavam uma imagem depressiva e decadente. Raul procura bastante, mas não encontra mulher alguma por lá, até que toma coragem e aborda um trabalhador, que apenas lhe responde que ela não havia chegado.

- Hum, OK, obrigado. Mas... por acaso sabe que horas ela chega?
avatar
Krauzer

Mensagens : 69
Data de inscrição : 26/12/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Crios em Seg Abr 16, 2018 4:58 pm

Kate estava em sua casa, em São Paulo quando sua mãe, Mia Regan, entrou com uma carta na mão, parecendo exaltada:
- Kate, chegou uma carta para você! Abra agora! É da família!

O jeito como ela enfatizou a palavra fez Katerine perceber que era ssunto garou, mas sua mãe era muito discreta em usar palavras que não comprometessem o Véu.

A carta estava escrita à mão, com uma letra caprichada lifeiramente tremida.

Percebendo a exaltação de sua mãe, Katerine se bota igualmente tensa. Havia se mudado a pouco tempo para o brasil. O que havia começado com apenas uma pequena temporada, acabou se tornando algo mais concreto e possivel

Katerine dizia enquanto abria a carta com uma expressão tranquila:
-Calma mamis, o que quer que seja a gente resolve - ela abre a carta – Não deve ser nada demais... – Katerine le a carta por cima e seus olhos já arregalam e seu tom de calamidade se cala.

"Querida Katerine,

Nossos parentes em comum me deram seu endereço. Sei que nossa família é miscigenada e muito numerosa, mas há poucos de nós no Brasil. Me informaram que você tem talentos que podem ser muito úteis, já que ninguém aqui na minha região nasceu com a sorte virada para a Lua como você. Eu sou formada em Biologia e trabalho como guia turística em parques de Mata Atlântica no litoral de São Paulo, mas tivemos problemas recentemente com uma Colmeia próxima. Qualquer ajuda seria bem-vinda nesse momento, quanto antes melhor. Você pode entrar em contato comigo através de uma mulher chamada Akíssia, que trabalha nas docas da praia de Iguatemi Martins, em Santos. Espero encontrá-la pessoalmente muito em breve!

Respeitosamente,
Alejandra López"

-Mãe...Preciso ir. Parentes nossos precisam de ajuda. Eu preciso ir para docas da praia de Santos. –Kat falava enquanto dava a carta para sua mãe ler –

Sabia que sua mãe estaria preucupada. Obviamente, como toda mãe. Mas alem disso, ela perdeu o marido justamente enquanto lutava contra dançarinos da espiral negra. Saber que sua filha estaria indo na direção destes monstros infernais. Entretanto, ela sabia que não poderia evitar o chamado do dever de sua filha. Katerine arrumava suas coisas para sair de casa, e antes de ir, abraçou e beijou sua mãe, prometendo voltar.

percebendo a chegada de Khan, Katerine imediatamente ia em sua direção, e lhe cumprimentava com um forte abraço, e com um beijo.


-Khan, o que manda? Verruck. Você sabe onde esta Luke? – Katerine olhava ao aredor e dizia – Mas enfim. Bom te ver de novo meu querido. Está também atrás da Akissia?


Como não conhecia os outros tão bem, comprimentava-os de forma gentil e educada.


-Olá, prazer em conhecer.


_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Cetza em Seg Abr 16, 2018 7:03 pm

* Shaíra ia de onibus, porém ela acabava errando o ponto e teve que soltar no meio do caminho e seguir à pé... o que não era nada mal para uma Peregrina Silenciosa, ela seguia pelas ruas de Santos um tanto entristecida pois a cidade era bela, mas o crescimento a estava matando. Devido ao seu Khimar, Shaíra era percebida por todos ali e somente ficava pensando em não ser assaltada por pensarem que ela fosse uma turista perdida. *
" Por Gaia não pensem que sou uma turista perdida... ser assaltada aqui seria o fim..."

* Ao chegar ela avistava os outros e notava algumas caras conhecidas desde o ritual de passagem daqueles que outrora forma filhotes e claro Klaus, provavelmente o rosto mais conhecido dentre eles. Ela cumprimentava a todos e logo em seguida cumprimentava Klaus um velho amigo dela.

-- Sabaḥu Al-Khair [Bom dia] a todos. Ahlan Sadiqi, quanto tempo não é mesmo Klaus... Parece que o nosso contato está um pouco atrasada.
avatar
Cetza

Mensagens : 210
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 33

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Nataly em Seg Abr 16, 2018 9:22 pm

Virgínia preparou-se bem para a viagem para o litoral de um país tropical, usando seu novo vestido branco e alguns enfeites para parecer mais "humana".

Aparência de Virgínia:

Ao se aproximar da docas, Aurora-da-Esperança estava rastreando sinais de atividade espiritual, fosse benigna ou maligna. Seus Sentidos Aguçados captavam tudo que acontecia ao redor.

Ela identificou outros garous pelo cheiro antes mesmo de vê-los.

"Aquele Cria de Fenris, Justiça-de-Prata, com cheiro de estrada e gasolina.

Cheiro de tecidos orientais, é aquela peregrina silenciosa, a Shaíra.

Odor de lobo vadio e fuçador, como era mesmo, Khama-quem, algo assim, o lupino senhor das sombras.

Aquele aroma de sangue antigo misturado com terras distantes, é a theurge fianna, Kate.

E de quem será esse fedor horrível? Acho que não conheço. É melhor ser gentil com ele, deve ser um roedor de ossos...."


Ela chegou na beira do atracadouro e percebeu que os garous estavam meio que se juntando, mas nada da tal moça Akíssia.

Ela chegou silenciosamente por trás de todos e disse:

- Oi!.
avatar
Nataly

Mensagens : 82
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Kurosatsunomori em Ter Abr 17, 2018 3:38 pm

Katerine escreveu:percebendo a chegada de Khan, Katerine imediatamente ia em sua direção, e lhe cumprimentava com um forte abraço, e com um beijo.

-Khan, o que manda? Verruck. Você sabe onde esta Luke? – Katerine olhava ao aredor e dizia – Mas enfim. Bom te ver de novo meu querido. Está também atrás da Akissia?

Kham abriu um sorriso bobo ao ser pego de surpresa mais uma vez pelos comprimentos de Katerine.

-- Oi Kate! Liguei pra ele e mandei algumas mensagens, mas sem resposta. Estou procurando Akíssia também... Já sabe de algo sobre o porque nos convocaram?

*olhando para o celular ainda sem resposta*

Spoiler:

avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 167
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Klauss K. em Ter Abr 17, 2018 4:23 pm

*Viagem tranquila entre Fonte Fria e Santos na descida da Serra do Mar Klauss parou a moto e comeu um pastel de feira e tomou um copo de caldo de canã com limão, costume que aprendera com Aretha o de aproveitar a viagem sempre que possivel e segue até santos, chegando ao local combinado encontra um estacionamento e deixa a moto e seu capacete, se perguntado por quantos dias , responde apenas que o quanto for necessário e paga uma semana de estacionamento adiantado e caminha tranquilamente em direção ao ponto de encontro, abre sua jaqueta de couro incomodado pelo calor do litoral arruma os óculos escuros e ao avistar Shaira imagina que os demais junto a ela também sejam garou.*

-- Sabaḥu Al-Khair [Bom dia] a todos. Ahlan Sadiqi, quanto tempo não é mesmo Klaus... Parece que o nosso contato está um pouco atrasada.


-- Oi Shai... *olha para todos* todos esperando por Akíssia, de duas uma ou os problemas estão sendo maiores que o esperado ou apenas estão dando tempo para que os recém chegados comecem a se organizar e se conhecer melhor...

- Oi!.

*Ameaça dar um sorriso lembrando da ultima vez que viu Virginia durante o ritual.*

-- Bom ve-la Virginia, acredito que vamos precisar e muito de sua ajuda como theurge.

*Olho para os demais.*

-- Saira e Virginia eu já conheço como não se apresentaram ainda... sou Klauss Krugger, chamado Justiça de Prata, ahroun fostern dos Crias de Fenris.
avatar
Klauss K.

Mensagens : 341
Data de inscrição : 11/07/2016
Idade : 38

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Alexyus em Seg Abr 30, 2018 12:33 pm

- Hum, OK, obrigado. Mas... por acaso sabe que horas ela chega?

O homem deu de ombros:

- Ela tem horário diferente, qualquer hora ela vem...


Isso não foi muito encorajador para Raul, que acabou não percebendo apresença dos outros garous que se agrupavam numa rodinha de conversa.

Mas alguém tinha percebido o grupo.

Dois furgões brancos com uma estampa de plantas nas laterais e estruturas de armações planas no teto surgiram de uma esquina e estacionaram próximo deles.



Uma garota de aparência asiática com olhos cansados saltou do carro e acenou para eles:

- Eu sou Akíssia Nakayama. Entrem!

Akíssia:

Havia assentos suficientes para que todos fossem num único furgão. Um rapaz branco de cabelo black power estava na direção, parecendo muito tenso.

Adalberto:

Quando o veículo se pôs em movimento, Akíssia fez as apresentações:

- Eu sou a responsável por coordenar os reforços para a Seita da Muralha Verde, Mudança-de-Lua, theurge uktena, adren. Nosso motorista é o Adalberto Água-de-Côco, roedor de ossos ahroun, fostern. E vocês?

Ela deu tempo para que cada um se apresentasse.

Depois que todos já tinham falado, ela retomou a narrativa:

- Nosso caern já foi atacado várias vezes por uma Colmeia de Dançarinos da Espiral Negra que fica em Cubatão, uma das cidades entre Santos e São Paulo. Perdemos muitos garous nas últimas semanas e ainda estávamos tentando nos reorganizar quando esse desastre aconteceu. A fumaça que vocês farejam no ar é um incendio nos tanques de óleo do petroleiro que naufragou. Só isso já seria bem ruim e nos daria muito trabalho, mas os espíritos nos avisaram de que essa catástrofe é parte de um grande ritual que os Espirais estão iniciando. Foi por isso que pedimos ajuda, estamos com mais do que podemos lidar sozinhos.

Adalberto falou lá do volante:

- Tem gente na seita que não acha isso, mas a gente tá bem ferrado aqui..


Akíssia concordou:

- Além de bloquearmos o avanço dos espirais rumo ao caern, precisamos dar um jeito de controlar essa catástrofe, e também salvar nossos parentes que foram pegos no fogo cruzado. Isso envolve dividir nossas forças em três frentes diferentes. Por isso precisamos de reforços.

Eles pararam numa praça deserta nos limites da cidade, de frente para a serra verdejante que se erguia sobre a cidade. Akíssia abriu as portas do furgão e os ocupantes dos dois veículos desembaracaram.

Ela apresentou os outros garous:

- Este é nosso ancião Heinrich Hulkenberg, Flagelo da Tempestade, ahroun da Cria de Fenris.

Um homem galego e bronzeado enorme acenou para eles com cara de impaciência e poucos amigos.

- E esse é Ricardo Terra, Ataque Clemente, ahroun dos Filhos de Gaia, athro. Eles estão coordenando a resistência na mata contra os avanços dos Espirais.

Um homem grande e ar rústico olhou para eles de modo simpático, mas ainda sério.

Heinrich e Ricardo:

- Esta é Priscila Prentice, Canto da Sereia, galliard das Fúrias Negra, adren.

Uma mulher loira muito bonita e elegante sorriu para eles, quase disfarçando completamente o cansaço e a preocupação.

- E esse é Sandro Vega, Shareware, phillodox dos Andarilhos do Asfalto. Eles dois estão organizando as operações técnicas para  conter o vazamento e controlar o incêndio.

Um rapaz moreno sorriu para eles confiante, quase à vontade.

Priscila e Sandro:

- Vocês já conhecem o Adalberto. Essa é Monique Melo, Filha do Trovão, phillodox Senhora das Sombras. Eles estão trabalhando com as autoridades para evacuar as pessoas e animais da área atingida pela mancha de óleo e pelos focos de incêncio, uma favela sobre palafitas com mais de 20 mil pessoas.

Uma jovem ruiva muito bem vestida fez uma mesura irônica para se apresentar.

Monique:

- Finalmente, essa é Alejandra López, Brisa Verde, theurge uktena. Ela e eu estamos vigiando a Penumbra e coordenando os reforços que chegam.

Uma moça de aparência latina sorriu para eles, meio enigmática.

Alejandra:

- Como vêem, há muito trabalho a fazer e ainda esperamos mais reforços a qualquer momento. Vocês conhecem suas habilidades melhor do que nós, então podem escolher onde ajudariam mais. Mas temos que ir agora!
avatar
Alexyus

Mensagens : 536
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Klauss K. em Ter Maio 01, 2018 11:59 pm

- Eu sou Akíssia Nakayama. Entrem!

*Klauss espera que todos entrem no furgão entrando por ultimo e fechando a porta.*

- Eu sou a responsável por coordenar os reforços para a Seita da Muralha Verde, Mudança-de-Lua, theurge uktena, adren. Nosso motorista é o Adalberto Água-de-Côco, roedor de ossos ahroun, fostern. E vocês?

-- Sou Klauss Krugger, chamado Justiça de Prata, ahroun fostern dos Crias de Fenris, nascido entre os humanos.

- Nosso caern já foi atacado várias vezes por uma Colmeia de Dançarinos da Espiral Negra que fica em Cubatão, uma das cidades entre Santos e São Paulo. Perdemos muitos garous nas últimas semanas e ainda estávamos tentando nos reorganizar quando esse desastre aconteceu. A fumaça que vocês farejam no ar é um incendio nos tanques de óleo do petroleiro que naufragou. Só isso já seria bem ruim e nos daria muito trabalho, mas os espíritos nos avisaram de que essa catástrofe é parte de um grande ritual que os Espirais estão iniciando. Foi por isso que pedimos ajuda, estamos com mais do que podemos lidar sozinhos.

- Tem gente na seita que não acha isso, mas a gente tá bem ferrado aqui..

- Além de bloquearmos o avanço dos espirais rumo ao caern, precisamos dar um jeito de controlar essa catástrofe, e também salvar nossos parentes que foram pegos no fogo cruzado. Isso envolve dividir nossas forças em três frentes diferentes. Por isso precisamos de reforços.

-- Em resumo se não tiverem apoio imediato podem perder o caern tanto para a poluição quanto para os espirais negras, acho que ainda não somos em numero suficiente para tudo o que precisam.

- Este é nosso ancião Heinrich Hulkenberg, Flagelo da Tempestade, ahroun da Cria de Fenris.

- E esse é Ricardo Terra, Ataque Clemente, ahroun dos Filhos de Gaia, athro. Eles estão coordenando a resistência na mata contra os avanços dos Espirais.


- Esta é Priscila Prentice, Canto da Sereia, galliard das Fúrias Negra, adren.

- E esse é Sandro Vega, Shareware, phillodox dos Andarilhos do Asfalto. Eles dois estão organizando as operações técnicas para conter o vazamento e controlar o incêndio.


- Vocês já conhecem o Adalberto. Essa é Monique Melo, Filha do Trovão, phillodox Senhora das Sombras. Eles estão trabalhando com as autoridades para evacuar as pessoas e animais da área atingida pela mancha de óleo e pelos focos de incêncio, uma favela sobre palafitas com mais de 20 mil pessoas.


- Finalmente, essa é Alejandra López, Brisa Verde, theurge uktena. Ela e eu estamos vigiando a Penumbra e coordenando os reforços que chegam.

- Como vêem, há muito trabalho a fazer e ainda esperamos mais reforços a qualquer momento. Vocês conhecem suas habilidades melhor do que nós, então podem escolher onde ajudariam mais. Mas temos que ir agora!

*Antes que os demais falem algo ou se manifestem dou alguns passos na direção dos anciãos e me apresento.*

-- Sou Klauss Krugger, Justiça de Prata, modi fostern dos Crias de Fenris e será uma honra lutar ao lado dos senhores contra os Espirais Negras.
avatar
Klauss K.

Mensagens : 341
Data de inscrição : 11/07/2016
Idade : 38

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Nataly em Qua Maio 02, 2018 8:30 pm

- Eu sou a responsável por coordenar os reforços para a Seita da Muralha Verde, Mudança-de-Lua, theurge uktena, adren. Nosso motorista é o Adalberto Água-de-Côco, roedor de ossos ahroun, fostern. E vocês?

Depois do Klauss, Virgínia respondeu:

- Me chamam de Virgínia Aurora-da-Esperança, theurge cliath Filha de Gaia, lupina.

- Como vêem, há muito trabalho a fazer e ainda esperamos mais reforços a qualquer momento. Vocês conhecem suas habilidades melhor do que nós, então podem escolher onde ajudariam mais. Mas temos que ir agora!

- Eu posso ajudar na Umbra, e se houver feridos também posso prestar socorros.
avatar
Nataly

Mensagens : 82
Data de inscrição : 31/03/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Krauzer em Qui Maio 03, 2018 9:48 pm

- Ela tem horário diferente, qualquer hora ela vem...

Raul percebia que aquele seria um longo dia, sem nenhuma certeza de encontrar a mulher. Caminhando pelo local, ainda em busca de alguma mulher, ele percebe uma pequena aglomeração de pessoas.

O Roedor se aproxima furtivamente para ouvir o que estavam conversando. Enquanto se aproximava, surgiam dois furgões. De um deles surgia uma garota de aparência oriental que se aproximava do grupo:

- Eu sou Akíssia Nakayama. Entrem!

Bingo, era ela! Raul se aproximava do grupo, que agora entrava no carro, e se dirigia a ela.

- Bom dia, você é Akíssia? Eu sou Raul, Tito me mandou procurar por você!

OFF: Caso ela reconheça Tito e deixe Raul entrar, segue o resto da cena:

A asiática se apresenta, e como Raul havia suspeitado, todos ali dentro eram Garous (e o motorista era um "parça" de tribo).

- Desculpem por ter caído de paraquedas, sou Lobo-de-Rua, Ragabash dos Roedores de Ossos!


Após as apresentações, eles falavam sobre o motivo de estarmos lá. Uma colmeia de Dançarinos da Espiral Negra, vazamento de óleo, um ritual do capiroto da Wyrm. Putz, que bela encrenca Tito o havia arranjado, não é à toa que ele próprio quis tirar o dele da reta, mandando-o em seu lugar.

A garota apresentava o restante do grupo e quais seriam seus afazeres. Servir de bucha de canhão contra os espirais, controlar um incêndio, evacuar pessoas e animais ou ficar de longe observando e alertando os outros. Das quatro operações, a menos perigosa e mais prática era a quarta, mas obviamente não dirá o motivo. Sua tribo já tem uma fama ruim, ele não desejava reafirmar o estereótipo.

- Ficarei honrado em "ajudá" na umbra, podem "contá" comigo!
avatar
Krauzer

Mensagens : 69
Data de inscrição : 26/12/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Kurosatsunomori em Qui Maio 03, 2018 11:16 pm

Uma garota de aparência asiática com olhos cansados saltou do carro e acenou para eles:

- Eu sou Akíssia Nakayama. Entrem!

*Kham entra sem falar nada*
Estava tão distraído e confuso com a situação que nem ao menos lembrou de se apresentar.

- Eu sou a responsável por coordenar os reforços para a Seita da Muralha Verde, Mudança-de-Lua, theurge uktena, adren. Nosso motorista é o Adalberto Água-de-Côco, roedor de ossos ahroun, fostern. E vocês?

Ela deu tempo para que cada um se apresentasse.

--Sou Khamaseen, Fúria-da-Tempestade, lupino, cliath Ragabash dos Senhores das Sombras.

Akissia escreveu:Um homem galego e bronzeado enorme acenou para eles com cara de impaciência e poucos amigos.

- E esse é Ricardo Terra, Ataque Clemente, ahroun dos Filhos de Gaia, athro. Eles estão coordenando a resistência na mata contra os avanços dos Espirais.

"Só os mais fortes estão entrando nessa batalha... deter os espirais colocaria o plano deles em um fim, seria uma vitoria de extrema importancia. Droga, não sou o melhor em batalha mas acho que o único daqui que que conseguiria dar algum suporte no campo de batalha e ainda se manter vivo. Não consigo imaginar outros se oferecendo para virem junto além do Cria de Fenris, o Klauss."

Akissia escreveu:- Como vêem, há muito trabalho a fazer e ainda esperamos mais reforços a qualquer momento. Vocês conhecem suas habilidades melhor do que nós, então podem escolher onde ajudariam mais. Mas temos que ir agora!

*Kham faz sua apresentação Garou* e se dispõe a ajudar contendo os Espirais.
--Sempre mandei bem na caça, posso acompanhar os guerreiros, essa vai ser a minha prioridade.

Virginia escreveu:- Eu posso ajudar na Umbra, e se houver feridos também posso prestar socorros.
Raul escreveu:- Ficarei honrado em "ajudá" na umbra, podem "contá" comigo!

*após ouvir a resposta de Raul*
-- Para Katerine a umbra é como um parque de diversões além de ela ter um poderoso numen, sugiro deixemos este trabalho para as Theurges e oferecer suporte nas outras tarefas.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 167
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Krauzer em Sex Maio 04, 2018 8:42 am

-- Para Katerine a umbra é como um parque de diversões além de ela ter um poderoso numen, sugiro deixemos este trabalho para as Theurges e oferecer suporte nas outras tarefas.

Raul se sente levemente envergonhado ao ouvir isso. Certo, ele não era nenhum expert em viagens umbrais, então talvez tivesse que suar um pouco mais nesta missão.

- OK, você tem razão, ficarei honrado em auxiliar na evacuação de pessoas e animais e ajudá-los no que puder!  
avatar
Krauzer

Mensagens : 69
Data de inscrição : 26/12/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Cetza em Sab Maio 05, 2018 9:34 am

* Shaira entrava no furgão e ficava lá no fundão, ela ouvia a jovem se apresentar e após todos se apresentarem ela falava.
-- Prazer, me chamo Shaira Passos sob areia, Ragabash, Cliath dos Peregrinos Silenciosos.
* Shaira ouvia as explicações dadas por Akíssia e Adalberto e ficava preocupada pois não imaginava que os Dançarinos tinham ido tão longe em seus planos nefastos.
-- Isso é terrível!. Imagino que tipo de ritual profano eles estão realizando...

* Ao se encontrar com os anciões, Shaira fazia uma mesura respeitosa à eles. Anciões me chamo Shaira Passos sob areia, Ragabash, Cliath dos Peregrinos Silenciosos, viemos o mais rápido possível para lhes ajudar. Akíssia nos informou sobre a atuação de Dançarinos numa espécie de ritual, vocês fazem ideia do que ele pretende? Talvez invocar algum maldito?

- Vocês já conhecem o Adalberto. Essa é Monique Melo, Filha do Trovão, phillodox Senhora das Sombras. Eles estão trabalhando com as autoridades para evacuar as pessoas e animais da área atingida pela mancha de óleo e pelos focos de incêncio, uma favela sobre palafitas com mais de 20 mil pessoas.
Uma jovem ruiva muito bem vestida fez uma mesura irônica para se apresentar.

-- Acho que posso ajudá-los a convencer as pessoas é o meu forte, especialmente na hora de dizer que alguém deve abandonar o seu lar... Eu irei com vocês Adalberto e Monique.




avatar
Cetza

Mensagens : 210
Data de inscrição : 25/03/2017
Idade : 33

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Crios em Sex Maio 11, 2018 5:21 am


Vestes de Katerine:

Shaira escreveu:-- Sabaḥu Al-Khair [Bom dia] a todos.

-Tudo bem shaira? Lembro de você do ritual de passagem dos meninos. Como vai?

Katerine não soube exatamente como reagir. Apesar de perceber as feições simpáticas. Provavelmente deve ser uma forma oculta e milenar árabe para se cumprimentar colegas. Ou seria apenas um “ola”? Isso intriga Katerine por tempo suficiente até que uma sombra chega atrás dela e dos outros, e com palavras tão curtas, e simples, cortam toda a talvez possivel profundidade das palavras em árabe.

Virginia escreveu:- Oi!

A theurge se vira com um susto de surpresa após ter sua filosofia parada. E responde:

-Olá. Tudo bem? Acho que não nos conhecemos direito ainda. Você deve ser a Virginia? - Katerine faz uma pausa, e olha bem a moça, tentando analisa-la e ao mesmo tempo admirando-a, falando em seguida com um tom devagar e contemplativo - Sua alma parece pura como agua cristalina. Porem... rodeada por uma leve nevoa com sereno. Você é...Linda. E não estou falando só de seu corpo. Gostei de você!

Katerine observa a Lupina por alguns breves segundos, com um sorriso. Fitando-a diretamente nos olhos. De maneira genuína, gostou da moça de espirito de cristal.

Khan escreveu:-- Oi Kate! Liguei pra ele e mandei algumas mensagens, mas sem resposta.

-Was zur Hölle, Luke.*
tradução:
*Que diabos, Luke.

-Espero que esteja fazendo algo importante. Enfim. Ando pensando sobre a questão da matilha que vamos formar. Logo está chegando a hora e nem temos ainda um espirito em mente que poderia nos adotar. Precisamos nos reunir.

Klaus escreveu:-- Saira e Virginia eu já conheço como não se apresentaram ainda... sou Klauss Krugger, chamado Justiça de Prata, ahroun fostern dos Crias de Fenris.

-Prazer, Katerine. Theurge, filha de Uktena e neta de Fianna. Acho que já ouvi boas histórias sobre você Justiça de Prata. Seu espirito parece ostentar mais batalhas do que enfrentou de verdade e seus olhos parecem cansados, mas não rendidos. Sua presença me traz...segurança, misturada com medo. Não do externo. Mas do seu interno. No bom sentido


(***)

Havia assentos suficientes para que todos fossem num único furgão. Um rapaz branco de cabelo black power estava na direção, parecendo muito tenso.

Kat entra no furgão, senta-se com perninha de índio colada com Khan. Conforme o papo começa a ficar serio, ela amarra o cabelo.

- Eu sou a responsável por coordenar os reforços para a Seita da Muralha Verde, Mudança-de-Lua, theurge uktena, adren. Nosso motorista é o Adalberto Água-de-Côco, roedor de ossos ahroun, fostern. E vocês?

Katerine fala com orgulho mas de maneira suave:

-Katerine Regan Rosenstock Desabrochar do inverno. Theurge, filha Uktena, neta de Fianna. Sou uma Uktena, com coração de Fianna.

Narrativa escreveu:- Nosso caern já foi atacado várias vezes por uma Colmeia de Dançarinos da Espiral Negra que fica em Cubatão, uma das cidades entre Santos e São Paulo. Perdemos muitos garous nas últimas semanas e ainda estávamos tentando nos reorganizar quando esse desastre aconteceu. A fumaça que vocês farejam no ar é um incendio nos tanques de óleo do petroleiro que naufragou. Só isso já seria bem ruim e nos daria muito trabalho, mas os espíritos nos avisaram de que essa catástrofe é parte de um grande ritual que os Espirais estão iniciando. Foi por isso que pedimos ajuda, estamos com mais do que podemos lidar sozinhos.

- Tem gente na seita que não acha isso, mas a gente tá bem ferrado aqui..

- Além de bloquearmos o avanço dos espirais rumo ao caern, precisamos dar um jeito de controlar essa catástrofe, e também salvar nossos parentes que foram pegos no fogo cruzado. Isso envolve dividir nossas forças em três frentes diferentes. Por isso precisamos de reforços.

Klaus escreveu:-- Em resumo se não tiverem apoio imediato podem perder o caern tanto para a poluição quanto para os espirais negras, acho que ainda não somos em numero suficiente para tudo o que precisam.

Katerine concorda com a cabeça e complementa a fala de Justiça de Prata:

-Não poderia estar mais de acordo. Nós somos os únicos reforços? Sinto muito em dizer, mas acho que de longe, não somos a cavalaria que vocês estavam esperando.

Após todos saírem do carro. Eles são apresentados aos outros membros da seita.

Katerine observa todos se apresentarem, e formalmente, abaixa a cabeça, em comprimento a todos.


narrativa escreveu:- Finalmente, essa é Alejandra López, Brisa Verde, theurge uktena. Ela e eu estamos vigiando a Penumbra e coordenando os reforços que chegam.

Uma moça de aparência latina sorriu para eles, meio enigmática.

Katerine sorri para ela. Irá aguardar o momento certo para se aproximar. Klaus é o primeiro a falar, com nataly indo na sequência. Katerine espera seu momento de falar e diz:

-Meu nome é Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar do inverno, ao seu dispor. Theurge dos Uktena, com coração de Fianna. Filha do Uktena Hainz Rosenstock e Neta do Fianna Leon McGill Reagan. Nascida entre os hominídeos alemães.

Todos estavam falando bastante sérios, mas sua atenção é puxada no momento em que Khan abre a boca para falar:

Khan escreveu:-- Para Katerine a umbra é como um parque de diversões além de ela ter um poderoso Numen, sugiro deixemos este trabalho para as Theurges e oferecer suporte nas outras tarefas.

Isso não apenas tira seu foco, mas como também tira uma risada. A forma descontraída de Khan alegra Kate. Ela tenta retomar o foco, e faz uma síntese do que foi falado até então.

-É Khan, acho que sim kkk. Mas enfim. Senhores. Eu tenho uma Obvia ajuda umbral, mas por outro lado... – Ela vira seu olhar na direção dos guerreiros- Eu sou capaz de projetar escudos em vocês na umbra. Eu não sou uma lutadora assídua, porem, quando luto ao lado de minha numem, fazemos maravilhas juntas. Posso curar os senhores também. Então, em caso de combate contra os dançarinos, talvez atrai-los para umbra, possa me dar tempo de criar uma proteção extra em vocês. Ou até mesmo auxiliar na cura de feridas.

-Estaria mais inclinada a auxiliar na umbra com alejandra e Akissa. Mas ai que eu pergunto, onde exatamente minha ajuda seria empregada? Você nos deu 3 opções, Ajudar a defender dos dançarinos, ajudar na parte técnica de limpeza, ou resgatar parentes. Então suponho que vocês estejam tranquilas para organizar os reforços pela umbra e não vão precisar da minha ajuda. Eu ficaria com a parte técnica então. Eu não sei bem o que fazer, mas se os dançarinos estão causando desastre pra fazer um ritual, então com certeza isso vai reverberar na umbra. E com certeza teremos dançarinos la pra incomodar. Tenho poder de suporte e uma numem com poder de fogo para a ocasião. Acho que posso ser mais util lá.

-Uma pergunta. Os grupos vão estar cordenando e se comunicando de alguma forma? Acredito que seja importante. Se não houver uma forma previa, Shaira talvez seja a pessoa ideal para isso. Ou talvez colocar espiritos para fazer essa atitividade possa ser mais util, deixando uma garou disponivel para...as coisas de Garou. Apenas para garantir que se alguém precisar de apuros, Akissia e alejandra saibam.

_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Klauss K. em Sex Maio 11, 2018 9:45 am

Crios escreveu:-Prazer, Katerine. Theurge, filha de Uktena e neta de Fianna. Acho que já ouvi boas histórias sobre você Justiça de Prata. Seu espirito parece ostentar mais batalhas do que enfrentou de verdade e seus olhos parecem cansados, mas não rendidos. Sua presença me traz...segurança, misturada com medo. Não do externo. Mas do seu interno. No bom sentido

*Klauss sorri*

-- Meu espirito não ostenta batalhas uma vez que eu procuro as evitar o máximo possível, por mais que elas me procurem e como Cria de FEnris não fujo delas... por esse motivo pertenço ao campo dos Presas de Garm, não precisa ter medo, há meu ver Gaia criou os Crias para defender os que não podem fazer isso sozinhos.

----

Conversa Raul, Khan, Kate escreveu:

- Ficarei honrado em "ajudá" na umbra, podem "contá" comigo!

-- Para Katerine a umbra é como um parque de diversões além de ela ter um poderoso numen, sugiro deixemos este trabalho para as Theurges e oferecer suporte nas outras tarefas.

-É Khan, acho que sim kkk. Mas enfim. Senhores. Eu tenho uma Obvia ajuda umbral, mas por outro lado... – Ela vira seu olhar na direção dos guerreiros- Eu sou capaz de projetar escudos em vocês na umbra. Eu não sou uma lutadora assídua, porem, quando luto ao lado de minha numem, fazemos maravilhas juntas. Posso curar os senhores também. Então, em caso de combate contra os dançarinos, talvez atrai-los para umbra, possa me dar tempo de criar uma proteção extra em vocês. Ou até mesmo auxiliar na cura de feridas.

-Estaria mais inclinada a auxiliar na umbra com alejandra e Akissa. Mas ai que eu pergunto, onde exatamente minha ajuda seria empregada? Você nos deu 3 opções, Ajudar a defender dos dançarinos, ajudar na parte técnica de limpeza, ou resgatar parentes. Então suponho que vocês estejam tranquilas para organizar os reforços pela umbra e não vão precisar da minha ajuda. Eu ficaria com a parte técnica então. Eu não sei bem o que fazer, mas se os dançarinos estão causando desastre pra fazer um ritual, então com certeza isso vai reverberar na umbra. E com certeza teremos dançarinos la pra incomodar. Tenho poder de suporte e uma numem com poder de fogo para a ocasião. Acho que posso ser mais util lá.

-Uma pergunta. Os grupos vão estar cordenando e se comunicando de alguma forma? Acredito que seja importante. Se não houver uma forma previa, Shaira talvez seja a pessoa ideal para isso. Ou talvez colocar espiritos para fazer essa atitividade possa ser mais util, deixando uma garou disponivel para...as coisas de Garou. Apenas para garantir que se alguém precisar de apuros, Akissia e alejandra saibam.


*Klauss suspira e sacode a cabeça negativamente.*

--É impressionante como gostam de desperdiçar tempo quando não o temos, qual a dificuldade de dizer *olha para Raul* no que cada um  é realmente bom e partirmos, enquanto discutimos mais espirais avançam para o caern, mais moradores e são comprometidos com o vazamento e o incêndio sem contar no estrago na Wild, caso  não tenham percebido.
avatar
Klauss K.

Mensagens : 341
Data de inscrição : 11/07/2016
Idade : 38

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Kurosatsunomori em Sab Maio 12, 2018 12:47 am

Katerine escreveu:-Uma pergunta. Os grupos vão estar cordenando e se comunicando de alguma forma? Acredito que seja importante. Se não houver uma forma previa, Shaira talvez seja a pessoa ideal para isso. Ou talvez colocar espiritos para fazer essa atitividade possa ser mais util, deixando uma garou disponivel para...as coisas de Garou. Apenas para garantir que se alguém precisar de apuros, Akissia e alejandra saibam.

--Ela tem razão quanto a comunicação, não gostariamos de sofrer uma emboscada ou uma ação surpresa em qualquer uma de nossas frentes de batalha. Caso alguma ameaça seja neutralizada devemos avançar contra as demais o mais rápido possível, esse é o meu número... *informa o telefone*
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 167
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Klauss K. em Qua Maio 16, 2018 8:47 pm

--Ela tem razão quanto a comunicação, não gostariamos de sofrer uma emboscada ou uma ação surpresa em qualquer uma de nossas frentes de batalha. Caso alguma ameaça seja neutralizada devemos avançar contra as demais o mais rápido possível, esse é o meu número... *informa o telefone*

*Klauss suspira*

-- Pelo Grande Fenris, de quantas missões vocês já participaram??? Qual a dificuldade de escolherem o que vocês vão fazer... *Olha para Khan*e acredito que já exista uma rede de comunicação que não leve a weaver para tão proximo do caern.
avatar
Klauss K.

Mensagens : 341
Data de inscrição : 11/07/2016
Idade : 38

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Alexyus em Ter Maio 22, 2018 11:12 pm

CENA 0

RAUL escreveu: - Bom dia, você é Akíssia? Eu sou Raul, Tito me mandou procurar por você!

A jovem oriental acenou positivamente com a cabeça, sinalizando para que Klauss embarcasse na van, onde poderiam falar mais abertamente.

CENA 1

Klauss -- Em resumo se não tiverem apoio imediato podem perder o caern tanto para a poluição quanto para os espirais negras, acho que ainda não somos em numero suficiente para tudo o que precisam.

Kate -Não poderia estar mais de acordo. Nós somos os únicos reforços? Sinto muito em dizer, mas acho que de longe, não somos a cavalaria que vocês estavam esperando.

Akíssia abanou a cabeça tristemente, respondendo:

- Nós pedimos e continuamos pedindo ajuda a todas as seitas que puderem nos mandar qualquer ajuda. Vocês não são os primeiros reforços, e temos esperança de que não sejam os últimos, porque, infelizmente, estamos tendo um número de baixas muito grande, tando de nossa seita quando dos garous que vem em socorro. Mas teremos que fazer o melhor que pudermos com o que temos à mão.


CENA 1,5

shaíra escreveu:Anciões me chamo Shaira Passos sob areia, Ragabash, Cliath dos Peregrinos Silenciosos, viemos o mais rápido possível para lhes ajudar. Akíssia nos informou sobre a atuação de Dançarinos numa espécie de ritual, vocês fazem ideia do que ele pretende? Talvez invocar algum maldito?

Heinrich bufou com a pergunta, enquanto Ricardo disse:

- Isso não é importante! O que quer que seja, não é bom! Eles devem ser impedidos de qualquer maneira!

A voz do ahroun era sonora e calou momentaneamente até o cantar dos pássaros em volta. Akíssia e Adalberto chegaram a encolher-se, enquanto Priscila, Sandro e Monique pareciam absortos em notas e celulares. Foi Alejandra quem quebrou a tensão no grupo:

- Talvez tenhamos sorte e descubramos isso enquanto combatemos os efeitos dele. Qualquer informação é muito valiosa...


CENA 2

klauss escreveu:Klauss -- Sou Klauss Krugger, Justiça de Prata, modi fostern dos Crias de Fenris e será uma honra lutar ao lado dos senhores contra os Espirais Negras.
Ricardo acenou afirmativamente com a cabeça, aprovando a postura de Klauss, e Heinrich pareceu prestes a sorrir, mas seus lábios permaneceram duros.

Virgínia - Eu posso ajudar na Umbra, e se houver feridos também posso prestar socorros.

Raul - - Ficarei honrado em "ajudá" na umbra, podem "contá" comigo!

Kham --Sempre mandei bem na caça, posso acompanhar os guerreiros, essa vai ser a minha prioridade. Para Katerine a umbra é como um parque de diversões além de ela ter um poderoso numen, sugiro deixemos este trabalho para as Theurges e oferecer suporte nas outras tarefas.

Raul -- OK, você tem razão, ficarei honrado em auxiliar na evacuação de pessoas e animais e ajudá-los no que puder!

Kate -É Khan, acho que sim kkk. Mas enfim. Senhores. Eu tenho uma Obvia ajuda umbral, mas por outro lado... – Ela vira seu olhar na direção dos guerreiros- Eu sou capaz de projetar escudos em vocês na umbra. Eu não sou uma lutadora assídua, porem, quando luto ao lado de minha numem, fazemos maravilhas juntas. Posso curar os senhores também. Então, em caso de combate contra os dançarinos, talvez atrai-los para umbra, possa me dar tempo de criar uma proteção extra em vocês. Ou até mesmo auxiliar na cura de feridas.

-Estaria mais inclinada a auxiliar na umbra com Alejandra e Akissia. Mas ai que eu pergunto, onde exatamente minha ajuda seria empregada? Você nos deu 3 opções, Ajudar a defender dos dançarinos, ajudar na parte técnica de limpeza, ou resgatar parentes. Então suponho que vocês estejam tranquilas para organizar os reforços pela umbra e não vão precisar da minha ajuda. Eu ficaria com a parte técnica então. Eu não sei bem o que fazer, mas se os dançarinos estão causando desastre pra fazer um ritual, então com certeza isso vai reverberar na umbra. E com certeza teremos dançarinos la pra incomodar. Tenho poder de suporte e uma numem com poder de fogo para a ocasião. Acho que posso ser mais util lá.

-Uma pergunta. Os grupos vão estar cordenando e se comunicando de alguma forma? Acredito que seja importante. Se não houver uma forma previa, Shaira talvez seja a pessoa ideal para isso. Ou talvez colocar espiritos para fazer essa atitividade possa ser mais util, deixando uma garou disponivel para...as coisas de Garou. Apenas para garantir que se alguém precisar de apuros, Akissia e alejandra saibam.  

-- Acho que posso ajudá-los a convencer as pessoas é o meu forte, especialmente na hora de dizer que alguém deve abandonar o seu lar... Eu irei com vocês Adalberto e Monique.


KLAUS - *Klauss suspira e sacode a cabeça negativamente.*

--É impressionante como gostam de desperdiçar tempo quando não o temos, qual a dificuldade de dizer *olha para Raul* no que cada um  é realmente bom e partirmos, enquanto discutimos mais espirais avançam para o caern, mais moradores e são comprometidos com o vazamento e o incêndio sem contar no estrago na Wild, caso  não tenham percebido.

KHAM - --Ela tem razão quanto a comunicação, não gostariamos de sofrer uma emboscada ou uma ação surpresa em qualquer uma de nossas frentes de batalha. Caso alguma ameaça seja neutralizada devemos avançar contra as demais o mais rápido possível, esse é o meu número... *informa o telefone*

Kham - *Klauss suspira*

-- Pelo Grande Fenris, de quantas missões vocês já participaram??? Qual a dificuldade de escolherem o que vocês vão fazer... *Olha para Khan*e acredito que já exista uma rede de comunicação que não leve a weaver para tão proximo do caern.

Os garous de Muralha Verde apenas observaram a discussão interna entre os recém-chegados até que eles tivessem de fato decidido.

Akíssia disse:

- Alejandra e eu monitoramos a Penumbra nas divisas da cidade, é parte de nossos deveres com a seita, e ficou muito mais importante nesse momento de crise. Não é necessário e nem podemos pedir ajuda, são tarefas sagradas. Mas em todos os setores haverá a necessidade de cobertura pela Penumbra, então o roedor de ossos e a filha de Gaia poderiam de fato ajudar como uma forma de cavalaria espiritual, ou atuando como batedores.

Alejandra abriu uma bolsa dentro do outro furgão e tirou alguns colares de pedras brilhantes que formavam a figura bem delineada de um papagaio no galho.

Colar do Papagaio:

- O Papagaio é um espírito da astúcia da Ninhada do Falcão, e um falecido presa de prata fez um pacto com ele. O Papagaio favorece a comunicação constante, e imbuiu esses fetiches com a capacidade de comunicação a longa distância. Todos os membros da seita já tem um destes, mas não tenho o suficiente para cada reforço. Klauss, leve um para a frente de combate na serra. Shaíra, leve outro para o resgate nas palafitas.

A voz de Heinrich trovejou rouca:

- Então vamos andando! Justiça e Fúria, comigo!

Heinrich tomou a dianteira enquanto Ricardo fechava a retaguarda atrás de Klauss e Kham. Eles caminharam diretamente para dentro da mata, inicialmente com passos pesados, mas logo suavizaram suas pegadas até moverem-se como sombras na mata.

Monique gesticulou para os quatro restantes:

- Entrem na van, vamos para o qg do comando de crise.


FRENTE DE COMBATE - Klauss, Kham

Quando tinham caminhado quase dois quilômetros dentro da mata, Heinrich mudou para a forma lupina e iniciou uma corrida leve. Ricardo fez o memso, explicando aos dois Ks:

- Agora que estamos fora da cidade, podemos correr como lobos. Será mais rápido assim, e precisamos ser bem rápidos. Aqueles malditos espirais logo darão falta da última matilha que pegamos.

Como a corrida não era muito puxada, era possível que eles conversassem na língua dos lobos enquanto corriam. Ricardo, apesar de tenso, era o mais falante dos dois guerreiros, e tratou de situar os dois recém-chegados:

- Há poucas rotas possíveis entre Santos e Cubatão. Enqaunto Santos fica no litoral, Cubatão está a meio caminho, bem no meio da Serra. Tem um grande parque industrial lá, um dos índices mais altos de poluição no país, e é onde fica a Colmeia deles. Nós bloqueamos as rotas dentro da mata, emboscando qualquer espiral que tente usá-las para chegar em Santos. Claro, tem as rodovias, mas Alejandra e Akíssia estão vigiando as entradas da cidade com espíritos vigilantes. Mas com esse negócio do ritual, nós perdemos muitos defensores nos últimos ataques deles.

Heinrich caminhava com segurança pelas trilhas estreitas da Mata Atlântica paulista, rumando para um ponto determinado.

Finalmente, eles chegaram a uma pequena semi-clareira, one estavam fincados quatro estavcas de madeira sustentando uma lona suspensa, uma barraca extremamente rudimentar, sob a qual havia panelas e bolsas.

Na barraca, Klauss avistou um garou que ele já conhecia, Ahmed, o peregrino silencioso impuro que já o acompanhara em outras missões. Ele parecia menos animado e mais abatido do que em seu último encontro.

- Hei, vocês voltaram! Rechaçamos outra invasão, os outros foram perseguir os espirais que fugiram enquanto eu fiquei para informar vocês. Hei, Klauss, bom te ver, mesmo sob essas circunstâncias...

Heinrich rosnou, quase latindo para Ahmed:

- Perseguir? Quem mandou perseguir? Não disse que era para manterem a posição?!?

Ahmed deu de ombros, desconfortável:

- Aquele garra vermelha começou a latir qualquer coisa sobre "combater a Wyrm onde quer que ela esteja", e o resto resolveu segui-lo na hora. Quando eu vi, só tinha restado eu aqui.

Heinrich praguejou numa língua que parecia alemão. Ricardo tocou seu colar de papagaio enquanto falava:

- Alê, os defensores que tinham ficado na serra desapareceram, com exceção de Ahmed. Informe se eles entrarem em contato.

Klauss escutou a mensagem e a resposta de Alejandra através do colar do Papagaio.

Heinrich ainda praguejava enquanto patejava o chão, como se fosse cavar até os sumidos. Ricardo já estava com a mente trabalhando em outros caminhos:

- Precisamos salvaguardar a rota que eles atacaram, e também checar as outras. Ahmed, mostre onde ocorreu a incrusão deles, vamos ter certeza de que não avancem mais por lá. Enquanto isso, Heinrich pode checar se as outras rotas estão seguras. Klauss, Kham, para onde querem ir?

OFF:

OFF: Klauss e Kuro, vocês podem escolher ir com Ricardo e Ahmed ou com Heinrich, os dois ou um pra cada lado. Qualquer diálogo que queiram fazer antes de chegar ao acampamento também pode ocorrer com Ricardo, Heinrich não responderá.


COMANDO DE RESGATE - Virgínia, Raul, Shaíra, Kate

Monique parecia bem mais à vontade na liderança da missão agora que estavam longe dos ahrouns. Adalberto pilotava a van enquanto Monique passava o briefing da missão para os quatro garous:

- Estamos trabalhando junto com os governos humanos nesse esforço, usando os recursos deles a nosso favor. Nossos parentes tem espíritos campeadores que nos informam da localização deles. A favela de palafitas de Vila Gilda já foi um mangue no começo do século passado, mas esgoto, lixo e ocupação ilegal levaram 6 mil famílias a morar lá. O IBGE estima que sejam 20 mil pessoas. É uma porta de entrada para todo lixo da Wyrm, incluindo espirais negras.

Adalberto comentou timidamente lá do volante:

- Fala do incêndio!

Monique assentiu e falou para os quatro novatos:

- Incêndio em casas de madeira é um pesadelo! Com 6 mil uma do lado da outra, estamos há dias tentando conter o fogo. Os bombeiros mantém os bairros ao redor a salvo, mas as chamas só podem ser combatidas por barcos, que tem pouca água e pouca pressão pra debelar todo o fogo. A outra dificuldade é que os moradores só podem ser retirados pela via terrestre, então é preciso entrar a pé e embrenhar-se no labirinto de plataformas que podem queimar ou desabar a qualquer momento.

Adalberto estacionou o furgão na frente de uma garagem na lateral da prefeitura de Santos e abriu as portas. Monique disse:

- Vai ter um relatório sobre a situação atual. Vou apresentar vocês como voluntários, depois a gente decide o melhor modo de agir. Vamos!

Eles entraram pela porta da garagem e chegaram a uma área cheia de mesas, computadores, mapas e telefones, com uma profusão de homens engravatados, fardados, uniformizados, andando em todas as direções apressadamente.

Os policiais e bombeiros bateram continência para Monique, e um dos engravatados, já com o nó frouxo, veio recebê-la:

Tércio:

- Dona Monique, estávamos esperando a senhorita para começar o relatório!

Monique respondeu bastante formal:

- Fui buscar mais voluntários para nos ajudar, Tércio. Pessoal, esse é Tércio, assessor do prefeito designado para acompanhar essa crise em nome da prefeitura. Ele é confiável, praticamente um "parente".

A ambiguidade da última palavra não passou despercebida a nenhum dos garous. Tércio apertou a mão de cada um rapidamente, num gesto bastante político:

-Agradeço imensamente sua ajuda, amigos! Precisamos de tudo que conseguir por aqui! Venham, vou lhes mostrar uma coisa!

Tércio sentou-se à frente de um computador e apontou para um telão na parede, onde começou a projetar imagens de satélite e fotografias do solo, junto com gráficos e mapas.

Imagens do Telão:

- Os bombeiros controlaram os focos de incêndio perto do solo mais firme, nas bordas da Vila Gilda, mas a Defesa Civil condenou quase 400 barracos. Estamos tentando evacuar as famílias dessas áreas, mas elas estão resistindo.

- Nas áreas diretamente sobre o mangue, o incêndio continua a avnçar, alimentado pelo lixo sobre a água. Os barcos não conseguem alcançar essa área e não há mangueiras longas o suficiente para chgar a essa área. Qualquer tentativa de resgate nessas áreas é de alto risco e totalmente desaconselhada pelo Corpo de Bombeiros.

- Na área da Vila Gilda que tem contato direto com a Mata, uma mancha de petróleo está se concentrando numa pequena baía entre o mangue e a serra. Nossos biólogos avisaram que se nada for feito, todo o ecossistema ali será exterminado em questão de dias.

- Por fim, o incêndio principal está na beira do mar, onde o petróleo aquecido encontrou comburentes e inflamou-se. Os barcos estão trabalhando ali, mas são insuficientes e pouco potentes. A evacuação nesse trecho só vai ser possível atravessando as plataformas de madeira, mas não temos informações do estado atual delas. Provavelmente, estão tão condenadas quanto os barracos.

Monique deu um aperto quase carinhoso no ombro de Tércio e virou-se para Kate, Virgínia, Raul e Shaíra:

- Vamos ter que nos dividir, pessoal. Há equipes de bombeiros, médicos e policiais controlando o acesso, mas não conseguem fazer mais do que isso. Precisamos ser discretos ao máximo, mas nosso foco é salvar nossos parentes o mais rápido possível. Vocês viram as quatro áreas problemáticas; onde acham que podem atuar melhor?
OFF:

OFF: Cada um pode escolher qualquer área, indo sozinho ou em grupocom outros.
avatar
Alexyus

Mensagens : 536
Data de inscrição : 05/07/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MAR EM CHAMAS

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum