Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Ir em baixo

Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Kurosatsunomori em Dom Jul 29, 2018 1:11 am


Logo pela manhã Katerine recebeu um Chamado da Wyld, o som reverberante do uivo que chegou misticamente aos seus ouvidos indicava que aquele som foi direcionado a ela. Estava sendo convidada para uma assembleia, essa seria uma ótima oportunidade de recuperar a gnose gasta em seu último trabalho a favor de Gaia, e também de manter boas relações com a tribo.

Em seu Caern logo foi direcionada a uma Ponte da Lua, seu destino era o Canadá.
Ao chegar em seu destino, na clareira, teve sua atenção atraída por um pequeno grupo de três Garous que estavam na grama em forma hominídea, dois sentados ao lado do outro conversando enquanto assistiam o terceiro que se destacava, este não parava de rolar na grama, saltar e jogar pedrinhas para cima, todos pareciam felizes apesar das fortes marcas de queimaduras que eram visíveis mesmo daquela distância.

Após alguns segundos observando Kate é recebida por um homem de sorriso simpático.

Echo-Echo:

– Desabrochar do Inverno, seja bem vinda, eu sou Echo-Echo, Galliard Uktena, foi eu quem fez o seu convite. Eu estou como responsável por praticamente tudo por aqui enquanto os outros estão trabalhando nos rituais que serão usados hoje. Você foi a primeira a chegar, hoje comemoramos a conclusão do Rito de Passagem de três novos Garou. – Diz enquanto vira o rosto na direção dos filhotes que parecem não mais se incomodar com as queimaduras. – Ali temos um novo lupino, mesmo já tendo passado algum tempo desde a primeira transformação ele ainda está descobrindo o corpo, está bem empolgado com tudo isso. – E continua... – Durante o ritual de iniciação eles decidiram seguir a trilha determinada pra eles pela umbra, acabou que encontraram um elemental de fogo e o atacaram sem ao menos conhecer a natureza do espirito. – Faz uma pequena pausa enquanto respira. – Já estávamos prestes a intervir mas o lupino tomou a frente com um dom de Wendigo para invocar uma brisa fria e expulsar o espirito antes que o estrago ficasse ainda maior, mesmo assim eles não escaparam de umas boas queimaduras... Eles ja receberam os devidos cuidados e o Ritual de Contrição já está sendo providenciado para que possam se desculpar com o espírito, e no final de tudo isso é bem provável que eles formem uma matilha. Estão chegando mais convidados Desabrochar, por favor, fique a vontade.

Logo que a conversa entre Katerine e Echo-Echo termina os jovens param o que estão fazendo e a observam, e assim que percebem a aproximação ficam em pé e sorriem enquanto aguardam até que a distância esteja boa para uma apresentação.

– Oi, eu sou Lígia, Theurge das Fúrias Negras.

– Eu sou Tobi, Galliard Uktena. Esse aqui nós chamamos de Gon, ele é lupino Ahroun dos Wendigo,  não é de falar muito.

Gon apenas ri.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 156
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Crios em Qua Ago 22, 2018 12:03 pm


Eis que o chamado chegara. Katerine nao poderia ignora-lo. Uma Assembleia distante dos uktena lhe convocava, e sabia que nao poderia ignorar um pedido de sua tribo. Queria fortalecer seus lacos com os uktena, uma vez que tinha se aproximado demasiado dos fianna na alemanha. Entao seria uma otima oportunidade. Todo caso, o que lhe vem a mente primeiramente é sobre sua linhagem e como seria importante manter presente dentro da propria tribo. Talvez por isso tenham a chamado? Bem, só indo até la para descobrir.

Ela nao sabia exatamente qual seria a ocasiao, porem, preparou uma pequena bolsinha com algumas coisas, e levava consigo enquanto viajava na forma lupine. A viagem era cansativa e longinqua, mas mesmo assim, mantinha o rumo da ponte de lua.

Ao chegar, ela mudava para a forma hominidea. O frio do Canada fazia o local ser mais confortavel. E estranhamente, katerine sentia-se muito acongechada com o caern. Era como se a energia das Terras Puras lhe tocasse. Como se o totem da tribo Uktena lhe tivesse dado ˜boas vindas˜.



– Desabrochar do Inverno, seja bem vinda, eu sou Echo-Echo, Galliard Uktena, foi eu quem fez o seu convite. Eu estou como responsável por praticamente tudo por aqui enquanto os outros estão trabalhando nos rituais que serão usados hoje. Você foi a primeira a chegar, hoje comemoramos a conclusão do Rito de Passagem de três novos Garou.

Katerine abria um grande e diplomatico sorriso. Ela imediatamente estendia a mao para echo-echo. Estava na postura que sua familha ensinou a ela.

-Ola. Muito grata pelo convite Echo-echo, sera um grandioso prazer participar dos ritos. Falo pela familia rosenstock quando digo que é uma honra estar presente nesta ocasiao.


– Durante o ritual de iniciação eles decidiram seguir a trilha determinada pra eles pela umbra, acabou que encontraram um elemental de fogo e o atacaram sem ao menos conhecer a natureza do espirito. – Faz uma pequena pausa enquanto respira. – Já estávamos prestes a intervir mas o lupino tomou a frente com um dom de Wendigo para invocar uma brisa fria e expulsar o espirito antes que o estrago ficasse ainda maior, mesmo assim eles não escaparam de umas boas queimaduras... Eles ja receberam os devidos cuidados e o Ritual de Contrição já está sendo providenciado para que possam se desculpar com o espírito, e no final de tudo isso é bem provável que eles formem uma matilha. Estão chegando mais convidados Desabrochar, por favor, fique a vontade.


Katerine observa os 3 garous enquanto escutava echo-echo. No fundo, ela sentia-se bem naquele local, mas ainda nao era exatamente como sua casa. Por causa disso, ela se portava de forma mais nobre, tal qual sua familia. Colocava-se mais formalmente. Como se fosse uma especie de “defesa” para si mesma. Isso lhe deixava mais confiante.


-Muito obrigada. Echo-Echo. Deveras aprazivel a acomitiva. Eu gostaria de conversar com eles. Aguardarei os proximos convidados para os ritos apropriados comecarem. Se voce precisar de alguma ajuda, estarei a disposicao.



Katerine se despedia, e entao seguia para a matilha, para comrpimenta-los. Comforme se aproximava comeca a ver um reflexo de sua propria matilha. Ela é a primeira a se apresentar.


-Ola filhotes, ou melhor dizendo, futuros cliaths kkk. Sou Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-inverno ao seu dispor.

– Oi, eu sou Lígia, Theurge das Fúrias Negras.
-Oh, mais uma theurge. Fico contente.

– Eu sou Tobi, Galliard Uktena. Esse aqui nós chamamos de Gon, ele é lupino Ahroun dos Wendigo,  não é de falar muito.

Gon apenas ri.

-oh, entao voce que enfrentou um espirito do fogo? Espero que nao tenha que enfrentar um maldito de fogo. Acredite, esses sim sao bem complicados. – dizia katerine sorrindo para Gon – Voce me lembra um amigo meu… conte-me grande Galliard, como foi este feito isso exatamente? Eu adoro historias umbrais.

Ela tentava fazer os garous sentirem como se tivessem feito uma conquista incrivel. Mesmo que para muitos garous fosse algo mais simples, para eles, era o apice da Vitoria provavelmente. Ela ja ia se sentando na grama junto com eles e sorria bastante

_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios

Mensagens : 265
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Kurosatsunomori em Qui Ago 23, 2018 5:55 am

A formalidade de Katerine ao representar sua família era admirável, tal postura colocava certo distanciamento na conversa atribuindo maior importância a Desabrochar do Inverno. Embora Echo-Echo se mantivesse a vontade começava a fantasiar se havia algum motivo especial para tê-la chamado. O que lhe foi ensinado sobre Katerine e sua linhagem estava quase esquecido devido a tantas funções que foram atribuídas ao Galliard, mas a raça pura era algo notório.

Katerine escreveu:-Muito obrigada. Echo-Echo. Deveras aprazivel a acomitiva. Eu gostaria de conversar com eles. Aguardarei os proximos convidados para os ritos apropriados comecarem. Se voce precisar de alguma ajuda, estarei a disposicao.

A função de ser o único a receber os convidados impedia Echo-Echo de aprofundar a conversa e conhecer um pouco mais sobre a raça pura, ou mesmo em pensar se ela poderia ajudar com os preparativos. Os filhotes mesmo já tendo recebido os cuidados ainda estavam muito machucados, e além disso não pareciam ter entendido o suficiente sobre a umbra apesar das explicações que lhe foram dadas.

--Eles já mostraram que têm o que é necessário para sobreviverem, mas provavelmente vão precisar de um reforço sobre a umbra, eu ficaria grato se pudesse responder a algumas dúvidas deles.--Em seguida se afasta tendo que priorizar suas outras funções.

Katerine escreveu:Katerine se despedia, e entao seguia para a matilha, para comrpimenta-los. Comforme se aproximava comeca a ver um reflexo de sua propria matilha. Ela é a primeira a se apresentar.

-Ola filhotes, ou melhor dizendo, futuros cliaths kkk. Sou Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-inverno ao seu dispor.

Percepção + Medicina:
Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 4 2 5 4 8 3
Katerine obteve 1 sucesso!

Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 3 6 7 6 4 5
Katerine obteve 3 sucessos!

Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 2 5 5 5 3 6
Katerine obteve 1 sucesso!
Conforme Katerine conversava ela era capaz de notar a intensidade das queimaduras. Mesmo que eles não demonstrassem dor o tempo todo, conforme cada um se apresentava, a maneira que se mexiam davam algumas dicas do quanto foram afetados por terem atacado o espírito do fogo.
Ao final da conversa seria capaz de perceber a intensidade dos ferimentos.

Lígia escreveu:– Oi, eu sou Lígia, Theurge das Fúrias Negras.
Katerine escreveu:-Oh, mais uma theurge. Fico contente.

Lígia logo simpatizou com a primeira convidada, uma mulher Theurge, talvez consigam se entender bem.

Katerine escreveu:-oh, entao voce que enfrentou um espirito do fogo? Espero que nao tenha que enfrentar um maldito de fogo. Acredite, esses sim sao bem complicados. – dizia katerine sorrindo para Gon – Voce me lembra um amigo meu… conte-me grande Galliard, como foi este feito isso exatamente? Eu adoro historias umbrais.

Gon aparentemente não tem nada a dizer, permanece calado enquanto pensa no que Kate acabou de dizer, na hipótese de enfrentar um maldito do fogo.

-- Foi assustador...-- Dizia o Galliard enquanto se sentava novamente na grama percebendo que Desabrochar do Inverno estava disposta a ouvir e permanecer por ali até que os preparativos para a assembléia estejam prontos.

*todos estão sentados, Gon permanece fazendo o que estava fazendo.*

Tobi começa:
--Tivemos que atravessar uma longa trilha para a nossa iniciação, acho que eles queriam que tivéssemos mais contato com a natureza, ouvi eles dizerem que a cidade tem criado Garous fracos. --Tobi parece incomodado.--Passamos dois dias atravessando as montanhas com pouca comida, tivemos que racionar, no último eu achei que iria morrer.

Percebendo o incômodo de Tobi, Lígia toma a palavra:
--Tentamos observar o Gon que tem maior experiência em sobrevivência, ele era meio que a única coisa que a gente tinha para se nortear, eu e o Tobi só sabíamos andar, olhar as estrelas. Perdemos muito tempo para fazer uma fogueira, eu achei que era esperta por trazer um isqueiro, mas no final do primeiro dia quando o frio nos pegou, quase não encontramos lenha.

--Mas também quando encontramos pegamos logo um monte. Enquanto eles dormiam eu preparei algumas coisas que poderiam ser úteis, amarrei vários galhos de madeira de um jeito que seria fácil de carregar, e fiz tochas também, que aí poderíamos acende-las no final da segunda noite quando o frio começasse a castigar, e assim não seria necessário dormir por mais um dia sem comida.

--E nesse último dia eu já estava torcendo para você morrer para que eu pudesse te comer kkkk, olha, eu realmente não sei se faria isso, mas parecia que o Wendigo sussurrava no meu ouvido nessas horas kkkkkk. Sério, não tinha um maldito coelho no caminho que fizemos, e no final de tudo quando finalmente saímos das montanhas encontramos gente. A forma crinos permitia que a gente pudesse segurar a tocha perto do corpo ao mesmo tempo que o pelo mantinha a gente protegido do vento gelado. Nem ferrando que a gente ia atravessar mais dois ou três quilômetros em forma humana apenas para preservar o véu, foi por isso que eu sugeri que a gente atravessasse pela umbra. Foi aí que demos de cara com um espírito do fogo, nossa, que susto a gente tomou! Eu nunca imaginei que os espíritos do fogo pudessem aparecer por qualquer lugar da umbra, e nem que eles fossem "amigáveis", nunca passou pela minha cabeça. E aí quando atacamos ele explodiu e ficou maior, em pouco tempo já estava saindo fogo do chão, friaca virou um inferno!!

Tobi começava a se empolgar com a história e dar risadas:
--Ele ficou muito puto! kkkkkkk! Mesmo assim continuamos lutando, por mais que tudo desse a entender que a gente ia morrer. Eu percebi que não dava pra fugir também, o fogo avançava rápido demais. Foi aí que o Gon tomou a frente deixando tudo gelado novamente, as chamas foram se afastando conforme ele direcionava o vento e em um minuto que parecia dez a gente estava coberto por gelo, e o espirito ia recuando enquanto o fogo que ele espalhou ia se apagando. Quando ele não tinha mais em que se prender ou como avançar saiu voando e foi embora. Ficamos acabados depois disso. Quando fomos retomar a caminhada eu desmaiei.

--Eu carreguei ele o resto do caminho, o Gon tava muito machucado para andar por dois. Quando chegamos no ponto de encontro rapidamente nos deram água, comida e cuidados médicos. E seja qual for o dom de cura que usaram na gente, não me ajudou muito, mas me disseram que não vou ter cicatrizes permanentes. --Diz enquanto mostra o braço direito que está coberto por marcas de queimadura de aparência nada agradável. --Depois de tudo o que passamos percebemos o quanto fomos importantes um para o outro nesse desafio de sobrevivência, estávamos agora mesmo conversando sobre formarmos uma matilha, ironicamente entramos em consenso sobre ter como totem de matilha o Wendigo. É como se ele tivesse observado a gente durante a nossa jornada, entre a fome e do frio encontramos vontade de lutar e de sobreviver, gostaríamos de ter ele como o totem de nossa matilha, mas depois de hoje não tenho certeza se conheço o suficiente sobre os espíritos e a umbra.

Ao final da conversa Katerine era capaz de ver o quanto todos estafam prejudicados pelos danos do fogo:
Vitalidade:
Lígia - Ferida Gravemente -2
Tobi - Machucado -1
Gon - Ferido -1

--Nos fala um pouco de você, tem matilha? Já se machucou com prata? já enfrentou um maldito de fogo? kkk

--Conhece bastante sobre esse negócio de umbra e espíritos? Já aprendeu alguns dons legais?

***

Ao final da conversa Echo-Echo grita para chamá-los, pois os rituais estavam todos prontos, a assembléia iria começar.

Antes de dar início Echo-Echo percebe quase que tardiamente que esqueceu de apresentar os filhotes aos convidados, rapidamente faz a apresentação de Katerine de maneira formal e respeitosa a todos os presentes, e a orienta a sentar em um lugar onde possa ter uma boa visão durante a assembléia. Em seguida os três filhotes são apresentados e seus feitos durante a apresentação foram contados. A maneira bem articulada com a qual Echo-Echo narrava a história deu ao lamentável episódio de atacar um espírito elemental um tom mais leve e heroico. Orientou os filhotes a ficarem perto da fogueira, pois primeiramente seria feito o Ritual de Conjuração e Contrição.

Os Garou responsáveis pelo ritual já estavam posicionados, aquilo estava claramente muito bem preparado, havia percussão, instrumentos de sopro, corda e vocais. Outros Garou estão posicionados para caso o espírito se enfureça.



Incensos são distribuídos a todos os participantes, pólvora é espalhada ao redor da fogueira, e para os filhotes são entregues bandejas de carvão, estes foram orientados a permanecerem de pé, e oferecerem ao espírito logo que ele aparecesse, e que cantassem o mais alto que puderem.

Os instrumentos começam a ser tocados conforme é dado a aprovação, e o mestre do ritual inicia a conjuração.

Em poucos minutos a pólvora espalhada começa a pipocar deixando Gon tenso e desconfortável, e logo o espírito do fogo aparece sobre a fogueira acendendo os demais grãos de pólvora que parecem ter sido colocados especialmente para ele, está curioso sobre a conjuração e o motivo de terem o chamado. Por alguns instantes se deleita sobre a fogueira ao som de gritos e uivos, assistindo formas em crinos que dançam balançando os braços de forma sincronizada, com movimentos leves e firmes como labaredas ao som da música que é cantada como se fosse um grito de guerra, e como se não bastasse todos os presentes carregavam incensos e os balançavam conforme o ritmo. Aquela situação o fazia se sentir especial, provavelmente não se arrependeria de ter respondido a conjuração.

O mestre do ritual ao ter sucesso na conjuração se afasta da fogueira e se aproxima dos vocais dando maior potência aos gritos assumindo a forma crinos.

Em pouco tempo o espírito volta sua atenção a os que estão segurando bandejas de carvão a sua direção. Imediatamente ao reconhecê-los se dá conta do que está acontecendo. As chamas em seu corpo se tornam mais violentas, e assumindo uma forma humanoide com rosto de demônio cruza os braços encarando cada um dos três esperando a contrição.

Os olhares de Gon e do espírito se encontram com duras expressões como se fossem inimigos que a qualquer momento pudessem se atacar. O espírito se aproxima cada vez mais o encarando com firmeza e tornando-se maior como se procurasse ver fraqueza no lupino que não se deixa intimidar.

Ao notar a maneira na qual o espírito se impõe sobre Gon, situação a qual deixa todos os presentes em estado de alerta, Tobi grita o mais alto que pode colocando todo seu empenho para o sucesso do ritual, Lígia acompanha Tobi e grita com vontade de modo que a atenção do espirito seja desviada do olhar guerreiro de Gon.

O espírito olha ao redor mais uma vez impressionado com a intensidade brado dos dois filhotes, e quando volta sua atenção ao lupino percebe que este permanece bradando sem recuar ao olhar hostil de sua aparência demoníaca, ao contrário disso, o olhar do ahroun demonstrava um grande espírito de batalha, um guerreiro que faria o que fosse necessário para proteger seus aliados, havia um forte ímpeto de paixão em sua postura. O espírito cedeu e acendeu o carvão das bandejas que lhe eram oferecidas. Ao final do ritual Gon e o espirito se olhavam sem mais hostilidade, o ritual havia sido um sucesso. O espírito aguardou a música até o final para que pudesse partir.

Off:
Aproveite os últimos segundos dá música antes de continuar =)

Os filhotes foram parabenizados e formalmente aceitos pelos representantes de suas tribos, a cada um deles foi dito palavras de sabedoria que ressaltava a importância de cada um deles enquanto marcavam com tinta os pontos fortes que os deveriam guiar. Traços vermelhos sobre as bochechas para marcar o guerreiro, duas linhas verdes apontadas para cima no peito e pescoço do galliard e um simbolo de três pontas em azul na testa da theurge.

Os três iniciantes agora eram oficialmente garous adultos. Lígia, Luz-Viva, Theurge das Fúrias Negras, Tobi, Vibra-Pluma, Galliard dos Uktena, e Gon, Frontline, Ahroun dos Wendigo.

***

A assembléia terminou, todos nesse momento aparecem vigorosos, a gnose pode ser sentida pelo ambiente quase como se fosse material, e Kate mais uma vez encontra com os novos Cliath, que parecem ainda mais empolgados.

--Katerine, você vai fazer alguma coisa saindo daqui? Estamos todos afim de comer alguma coisa. E em seguida estávamos pensando em voltar para aquele ultimo pedaço da nossa trilha, onde lutamos com o espírito do fogo, o espírito do Wendigo deve estar ali por perto, eu sei que está, eu senti ele. Como concluímos o Ritual de Passagem a pouco tempo talvez ele nos aceite como matilha. Você pode nos ensinar um pouquinho mais sobre a umbra? Por favor!? Vem com a gente!!

A imagem do Wendigo é algo que causa um arrepio na espinha, uma criatura tão selvagem e assustadora não parecia combinar com a Rosenstock, que sentia seus pulmões se esvaziarem trêmulos apenas ao pensar em pronunciar seu nome, mas seu comportamento a impedia de responder negativamente a tão jovens Garou que anseiam por crescerem e se tornarem fortes, Echo-Echo também havia pedido mais cedo para que tirasse dúvidas dos jovens.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 156
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Crios em Qui Set 06, 2018 5:59 pm

musica:

A função de ser o único a receber os convidados impedia Echo-Echo de aprofundar a conversa e conhecer um pouco mais sobre a raça pura, ou mesmo em pensar se ela poderia ajudar com os preparativos. Os filhotes mesmo já tendo recebido os cuidados ainda estavam muito machucados, e além disso não pareciam ter entendido o suficiente sobre a umbra apesar das explicações que lhe foram dadas.

--Eles já mostraram que têm o que é necessário para sobreviverem, mas provavelmente vão precisar de um reforço sobre a umbra, eu ficaria grato se pudesse responder a algumas dúvidas deles.--Em seguida se afasta tendo que priorizar suas outras funções.


Assentindo com a cabeça, a theurge diz:

-Certamente. Talvez eles tenham duvidas sobre os caminhos umbrais, e como theurge é meu dever auxiliar.

Lígia logo simpatizou com a primeira convidada, uma mulher Theurge, talvez consigam se entender bem.

Katerine também logo de cara simpatizou mais com Ligia. Talvez por se ver na mesma posição.

***

Tobi começa:
--Tivemos que atravessar uma longa trilha para a nossa iniciação, acho que eles queriam que tivéssemos mais contato com a natureza, ouvi eles dizerem que a cidade tem criado Garous fracos. --Tobi parece incomodado.--Passamos dois dias atravessando as montanhas com pouca comida, tivemos que racionar, no último eu achei que iria morrer.

Percebendo o incômodo de Tobi, Lígia toma a palavra:
--Tentamos observar o Gon que tem maior experiência em sobrevivência, ele era meio que a única coisa que a gente tinha para se nortear, eu e o Tobi só sabíamos andar, olhar as estrelas. Perdemos muito tempo para fazer uma fogueira, eu achei que era esperta por trazer um isqueiro, mas no final do primeiro dia quando o frio nos pegou, quase não encontramos lenha.

-Quando bate o frio a vontade é de ficar quietinho bem de boas. Bem tenso. Mas e ai o que fizeram?



--Mas também quando encontramos pegamos logo um monte. Enquanto eles dormiam eu preparei algumas coisas que poderiam ser úteis, amarrei vários galhos de madeira de um jeito que seria fácil de carregar, e fiz tochas também, que aí poderíamos acende-las no final da segunda noite quando o frio começasse a castigar, e assim não seria necessário dormir por mais um dia sem comida.

--E nesse último dia eu já estava torcendo para você morrer para que eu pudesse te comer kkkk, olha, eu realmente não sei se faria isso, mas parecia que o Wendigo sussurrava no meu ouvido nessas horas kkkkkk. Sério, não tinha um maldito coelho no caminho que fizemos, e no final de tudo quando finalmente saímos das montanhas encontramos gente. A forma crinos permitia que a gente pudesse segurar a tocha perto do corpo ao mesmo tempo que o pelo mantinha a gente protegido do vento gelado.

Katerine arregala os olhos. Ela sabe da fama do wendigo. E esta claramente entretida com a historia. Estava pensando sobre como isso não foi brincadeira. talvez no fundo ligia realmente estivesse considerando isso


Nem ferrando que a gente ia atravessar mais dois ou três quilômetros em forma humana apenas para preservar o véu, foi por isso que eu sugeri que a gente atravessasse pela umbra. Foi aí que demos de cara com um espírito do fogo, nossa, que susto a gente tomou! Eu nunca imaginei que os espíritos do fogo pudessem aparecer por qualquer lugar da umbra, e nem que eles fossem "amigáveis", nunca passou pela minha cabeça. E aí quando atacamos ele explodiu e ficou maior, em pouco tempo já estava saindo fogo do chão, friaca virou um inferno!!

Tobi começava a se empolgar com a história e dar risadas:
--Ele ficou muito puto! kkkkkkk! Mesmo assim continuamos lutando, por mais que tudo desse a entender que a gente ia morrer. Eu percebi que não dava pra fugir também, o fogo avançava rápido demais. Foi aí que o Gon tomou a frente deixando tudo gelado novamente, as chamas foram se afastando conforme ele direcionava o vento e em um minuto que parecia dez a gente estava coberto por gelo, e o espirito ia recuando enquanto o fogo que ele espalhou ia se apagando. Quando ele não tinha mais em que se prender ou como avançar saiu voando e foi embora. Ficamos acabados depois disso. Quando fomos retomar a caminhada eu desmaiei.

--Eu carreguei ele o resto do caminho, o Gon tava muito machucado para andar por dois.

-Gon. Orra!
Spoiler:


-Uau. -Katerine mostrava um tom de surpresa mas de entusiasmo. - Você é bem dura na queda neh ligia?


Quando chegamos no ponto de encontro rapidamente nos deram água, comida e cuidados médicos. E seja qual for o dom de cura que usaram na gente, não me ajudou muito, mas me disseram que não vou ter cicatrizes permanentes. --Diz enquanto mostra o braço direito que está coberto por marcas de queimadura de aparência nada agradável. --Depois de tudo o que passamos percebemos o quanto fomos importantes um para o outro nesse desafio de sobrevivência, estávamos agora mesmo conversando sobre formarmos uma matilha, ironicamente entramos em consenso sobre ter como totem de matilha o Wendigo. É como se ele tivesse observado a gente durante a nossa jornada, entre a fome e do frio encontramos vontade de lutar e de sobreviver, gostaríamos de ter ele como o totem de nossa matilha, mas depois de hoje não tenho certeza se conheço o suficiente sobre os espíritos e a umbra.


-O Wendigo é um espirito que explode em fúria. Pense em todo o fogo que aquele espirito trouxe. Agora pense nessa explosão dentro de vocês. Se forem buscar o wendigo, então serão uma matilha claramente focada na guerra.  –Katerine fazia uma pausa, olha diretamente pra ligia – Acho que ele vai gostar de vocês. Gon por ter enfretado o perigo sem pensar duas vezes, Tobi, mesmo tendo caído, ainda assim lutou firmemente. E Ligia, por seu companheirismo e firmeza ao levar seu colega. Vocês todos estão de parabéns. Estou é surpresa por Gon, que mesmo senho um filhote conseguiu aprender um dom tão útil e usa-lo de forma tão aplacável.


--Nos fala um pouco de você, tem matilha? Já se machucou com prata? já enfrentou um maldito de fogo? Kkk


Katerine sorria. Ela achava um pouco engraçadinho e fofo as perguntas, toda essa curiosidade dos filhotes. Ela colocava um dedo no queixo, fazia uma expressão pensativa e dizia:

musica:


-Então...Tenho uma matilha, e não tenho uma matilha. Nós não temos totem ainda, mas já decidimos ir atrás da coruja. A gente se encontrou de uma forma bem inusitada kkk. Eu estava na Alemanha quando soube que alguns filhotes haviam sidos abandonados a própria sorte durante o o rito de passagem no Afeganistão. Eu fui uma das responsáveis pelo resgate. Mas acabou que eu também me perdi na tempestade de neve, e acabei num domínio da wyrm sem dormir direito, e lutando contra espectros verdes malditos. Quando eu achei que não daria mais para lutar, os reforços chegaram. Eu também tive que ser resgatada. O rito de passagens deles foi no brasil, e eles receberam seu posto de Cliaths. Pouco tempo depois, quando saímos de la, estávamos pensando na formação de matilha, e na noite de Halloween, nós invadimos um local infestados de vampiro. Não posso falar muito por que se não daria spoiler. Mas la que nós tivemos nossa primeira batalha. Que apenas reforçou os laços de matilha. Por ser mais velha e experiente eu provavelmente vou assumir como alfa. Isso pode ser interessante para representar frente aos anciões, por causa de minha linhagem.

-Sobre a prata – Katerine sorria com um olhar de “sabe de nada inocente” – Você já ouviu a fama dos Rosenstock, Galliard? Nossa linhagem é abençoada com uma estranha resistência a prata. Isso acabou criando historias épicas incríveis. Eu pessoalmente nunca tive de efrentar a prata. Mas meu pai já. Ele já foi cercado por caçadores com armas de prata, e para qualquer garou, isso seria o fim. Mas quando em um momento, um dos inimigos achou que tivesse vencido pois cravou uma espada de prata no estomado de Hainz rosenstock, O garou puxou a espada para dentro dele, e com uma patada, arrancou a cabeça do filha da puta, retirou a espada do seu corpo, e a usou como arma.

-MALDITOS DO FOGO? NEM ME FALA. ESSES TEMPO EU FUI PARA UMA MISSÃO E PARECIA QUE O MAR TODO ESTAVA EM CHAMAS. Então na umbra, tu nem imagina. HAHA

Ligia escreveu:--Conhece bastante sobre esse negócio de umbra e espíritos? Já aprendeu alguns dons legais?

Katerine então é tomada pelas perguntas de ligia. Ela sorria. A expressão de ensiasmo de KAterine era muito grande.

-E ASSIM NASCE UMA THEURGE SENHORAS E SENHORES!!! Você é bem parecidinha comigo ein garota. Me faz lembrar quando era mais nova kkk. Sobre a umbra, eu gostaria de saber mais. Um membro da minha matilha diz que a umbra pra mim é um parquinho de diversão. Kkkk A gente pega muita coisa da Umbra na base da raça. Eu também tenho uma numem que costuma me ajudar bastante. Vocês verão ela ainda hoje talvez. Gente, a umbra é um lugar fantástico. Saiba, minha cara Furia, uma batalha vencida na umbra poderá ter resultados incríveis na terra. Lembre-se bem disso. Você deve liderar seu companheiros nas entranhas misticas de gaia. Existem 5 augúrios, mas apenas um dele é colocado a responsabilidade da umbra. Gon, na umbra, você talvez deva ter os olhos mais abertos. As vezes, o bom guerreiro sabe quando não deve atacar. Alguns espiritos apenas vão parecer querer machucar, mas nem todos são de fato inimigos. E tobi, como um membro novo da tribo, saiba que lhe é esperado algum conhecimento sobre a umbra. As historias umbrais sempre são as mais epicas, na minha opinião. Tenho fé em você filhote.

Já aprendeu alguns dons legais?

Katerine dava uma mexidinha com os olhos, achando aquilo o máximo, e sorrindo. Ela virava o rosto olhando para as outras pessoas.  Então voltava o olhar para as feridas dos Garou.

-Agora que mencionou. Eu sei poucos. Mas tenho minhas cartas na manga. Querem ver um antes de irem a reunião? Não sei se seria permitido. Mas acho que este é um caso especial e talvez necessario..... Ligia! levante-se. Talvez doa um pouco, mas logo passa. Me de a mão, e foca em mim. Quero que preste bastante atenção, pois este é um dom de nosso augurio, e com certeza sera vital para as suas batalhas. Se pretende seguir o wendigo, seria bom aprender, então farei uma demonstração mais detalhada em você...-Katerine falava num tom misterioso, porem, convidativo, sorrindo de forma atrativa. Ela lenvatava e dizia - Pronta?

Katerine então levantava. Chegava bem perto da Furia Negra, quase encostando seu corpo. Com a mão direita, segurava a mão esquerda de Lígia, sentindo sua textura. Em seguida, Colocava a mão esquerda no braço direito de ligia. Bem nas áreas queimadas. Quase que acariando levemente, sentindo a região para ter uma noção tatil da ferida.

-Aproxime seu rosto...e olhe para mim

Encostava a testa na testa de ligia enquanto sussurrava:

-O toque da mãe é importantissmo para a sobrevivência dos outros da nação garou. Quando eu uso, costumo sentir algum vinculo com a pessoa a ser curada. Estou proxima de você para que tente sentir que o toque da mãe é mais do que um dom de cura. Ele ajuda a manter a nação garou, tanto fisicamente, quanto espiritualmente. Feche os olhos. Eu quero que sinta, pois uma boa theurge, deve aprender a ver sem os olhos, e sentir alem do fisico - Katerine então começava a usar o dom Toque da mãe, enquanto usava uma mão para curar, com a outra apertava a mão de Ligia,  quase como se acariciasse tentando conforta-la. então sussura enquanto mantem o rosto proximo, mas agora mais proximo do ouvido, para não atraplhar a concentração da theurge- Sente? a cura não é so física. É espiritual. É uma sintonia com a pureza da Grande Mãe.

Terminando o uso do dom, Katerine começa a se afastar enquanto falava baixo. mas deixando os outros ouvirem:

-vê? Talvez ja tenha sentido o toque da mãe antes, mas talvez nunca assim. Eu usei o dom desta forma para que notasse a nuance espiritual que muitos Garou não percebem neste dom. Este é um conselho que posso lhe dar, de Theurge pra theurge, ou de amiga para amiga, você que sabe* Mas preste atenção no que farei agora.
*:

Soltando a mão de lígia, ela voltava suas atenções para Gon.

-Então, "irmão mais novo"*, Se aproxime. Vou lhe curar. E depois, você tobi. Fiquem sentados, tentem sentir tambem o toque espiritual deste dom.

Spoiler:
*Maneira como os uktena e Wendigo se tratam mts vezes muitas vezes. OS uktena são os irmãos mais velhos, os croatan eram os irmao do meio e os Wendigo o irmão mais novo.

Katerine então se aproxima de Gon, respeitosamente, e o cura com as duas mãos o protegendo. Terminando, chegava a tobi e lhe cava as feridas com as mãos e o curava enquanto tentava confortar a dor. Olhava eles, e então dizia:

-Podem me achar Careta, mas eeeuuuuuuu, acho esse dom muito legal.


***


Ao final da conversa Echo-Echo grita para chamá-los, pois os rituais estavam todos prontos, a assembléia iria começar.

Antes de dar início Echo-Echo percebe quase que tardiamente que esqueceu de apresentar os filhotes aos convidados, rapidamente faz a apresentação de Katerine de maneira formal e respeitosa a todos os presentes, e a orienta a sentar em um lugar onde possa ter uma boa visão durante a assembléia. Em seguida os três filhotes são apresentados e seus feitos durante a apresentação foram contados. A maneira bem articulada com a qual Echo-Echo narrava a história deu ao lamentável episódio de atacar um espírito elemental um tom mais leve e heroico. Orientou os filhotes a ficarem perto da fogueira, pois primeiramente seria feito o Ritual de Conjuração e Contrição.

Katerine formalmente se apresentava para os os convidados. Representava o nome de sua importante linhagem, então se mantinha na pose. Tentava se manter carismatica e bem interessada nos assuntos da seita e da tribo. E de fato estava. Mas no momento de se sentar, ela ficava numa postura mais "theurge". Estava anciosa para ver o ritual em pratica. Perninha de indio, e costas curvas, projetando o corpo para frente. Estava realmente animada com o ritual.

Durante todo o processo do ritual, ela quase nem pisca. tentava aprender tudo, ver tudo, sentir tudo, espiar na umbra... U A U. Os uktena são os melhores. Fazem a gente sentir em nós mesmos a sensação que o espirito passou. Era incrível. Ela olhava encantada para o espirito, e a reação de Gon. Era bem interessante "a briga de olhares".


***

Spoiler:


A assembléia terminou, todos nesse momento aparecem vigorosos, a gnose pode ser sentida pelo ambiente quase como se fosse material, e Kate mais uma vez encontra com os novos Cliath, que parecem ainda mais empolgados.

Mais empolgados? kkk

--Katerine, você vai fazer alguma coisa saindo daqui? Estamos todos afim de comer alguma coisa. E em seguida estávamos pensando em voltar para aquele ultimo pedaço da nossa trilha, onde lutamos com o espírito do fogo, o espírito do Wendigo deve estar ali por perto, eu sei que está, eu senti ele. Como concluímos o Ritual de Passagem a pouco tempo talvez ele nos aceite como matilha. Você pode nos ensinar um pouquinho mais sobre a umbra? Por favor!? Vem com a gente!!

Pega totalmente de surpresa, kate responde primeiro em alemão, mas logo se corrige e fala em inglês:

-wird mir ein Vergnügen sein; será um prazer para mim. Vou sim. Estou com fome tambem, estava mesmo agora indo comer algo. Sobre a umbra - Katerine suspira pesadamente e fica seria - Sim, podemos sim. Mas se querem encontrar um avatar do Wendigo, ja aviso para tirar o sorriso da face. Realmente não quero cortar o barato de vocês, mas esse é um espirito da guerra incrivel conhecido por ser uma explosão de furia tão grande que os proprios membros de sua tribo desconfiam dele. * outro suspiro, porem sorrindo e um pouco aliviada * Mas vamos la Cliaths...temos muita coisa para conversar. Eu prometo responder todas suas perguntas e depois uma viagem umbral. Se querem achar o Wendigo, é bom que estejam bem acompanhados Very Happy


-Vamos comer e ir para umbra. Mas tem uma coisa, eu preciso recarregar a minha gnose antes de irmos para a umbra. Okay? mas vamos la comer, então façam as perguntas que quiserem :3

_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios

Mensagens : 265
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Kurosatsunomori em Dom Set 16, 2018 6:52 am

Katerine participou de cada momento da conversa, mostrando que estava atenta a tudo o que era conversado, o linguajar casual acompanhado de algumas gírias deixou os filhotes bem à vontade, até Gon sentou-se para escutar a conversa quando percebeu que sua parte da história a impressionou.

Katerine escreveu:-O Wendigo é um espirito que explode em fúria. Pense em todo o fogo que aquele espirito trouxe. Agora pense nessa explosão dentro de vocês. Se forem buscar o wendigo, então serão uma matilha claramente focada na guerra.  –Katerine fazia uma pausa, olha diretamente pra ligia – Acho que ele vai gostar de vocês. Gon por ter enfretado o perigo sem pensar duas vezes, Tobi, mesmo tendo caído, ainda assim lutou firmemente. E Ligia, por seu companheirismo e firmeza ao levar seu colega. Vocês todos estão de parabéns. Estou é surpresa por Gon, que mesmo senho um filhote conseguiu aprender um dom tão útil e usa-lo de forma tão aplacável.

--Seremos uma matilha de guerreira, é com o apocalipse que estamos lidando, estamos dispostos a viver e morrer lutando por Gaia.

Katerine escreveu:-Então...Tenho uma matilha, e não tenho uma matilha. Nós não temos totem ainda, mas já decidimos ir atrás da coruja. A gente se encontrou de uma forma bem inusitada kkk. Eu estava na Alemanha quando soube que alguns filhotes haviam sidos abandonados a própria sorte durante o o rito de passagem no Afeganistão. Eu fui uma das responsáveis pelo resgate. Mas acabou que eu também me perdi na tempestade de neve, e acabei num domínio da wyrm sem dormir direito, e lutando contra espectros verdes malditos. Quando eu achei que não daria mais para lutar, os reforços chegaram. Eu também tive que ser resgatada. O rito de passagens deles foi no brasil, e eles receberam seu posto de Cliaths. Pouco tempo depois, quando saímos de la, estávamos pensando na formação de matilha, e na noite de Halloween, nós invadimos um local infestados de vampiro. Não posso falar muito por que se não daria spoiler. Mas la que nós tivemos nossa primeira batalha. Que apenas reforçou os laços de matilha. Por ser mais velha e experiente eu provavelmente vou assumir como alfa. Isso pode ser interessante para representar frente aos anciões, por causa de minha linhagem.

-Sobre a prata – Katerine sorria com um olhar de “sabe de nada inocente” – Você já ouviu a fama dos Rosenstock, Galliard? Nossa linhagem é abençoada com uma estranha resistência a prata. Isso acabou criando historias épicas incríveis. Eu pessoalmente nunca tive de efrentar a prata. Mas meu pai já. Ele já foi cercado por caçadores com armas de prata, e para qualquer garou, isso seria o fim. Mas quando em um momento, um dos inimigos achou que tivesse vencido pois cravou uma espada de prata no estomado de Hainz rosenstock, O garou puxou a espada para dentro dele, e com uma patada, arrancou a cabeça do filha da puta, retirou a espada do seu corpo, e a usou como arma.

-MALDITOS DO FOGO? NEM ME FALA. ESSES TEMPO EU FUI PARA UMA MISSÃO E PARECIA QUE O MAR TODO ESTAVA EM CHAMAS. Então na umbra, tu nem imagina. HAHA

As histórias de Katerine impressionaram e muito o Galliard, a linhagem Rosenstock chegava a despertar o interesse do filhote, assim como as participações em combates que no imaginario ja eram assustadores, um mar em chamas, um local infestado de vampiros para a primeira batalha. Os olhos de Tobi indicavam que queria conversar mais, mas cedeu espaço para as perguntas da Lígia.

Katerine escreveu:-E ASSIM NASCE UMA THEURGE SENHORAS E SENHORES!!! Você é bem parecidinha comigo ein garota. Me faz lembrar quando era mais nova kkk. Sobre a umbra, eu gostaria de saber mais. Um membro da minha matilha diz que a umbra pra mim é um parquinho de diversão. Kkkk A gente pega muita coisa da Umbra na base da raça. Eu também tenho uma numem que costuma me ajudar bastante. Vocês verão ela ainda hoje talvez. Gente, a umbra é um lugar fantástico. Saiba, minha cara Furia, uma batalha vencida na umbra poderá ter resultados incríveis na terra. Lembre-se bem disso. Você deve liderar seu companheiros nas entranhas misticas de gaia. Existem 5 augúrios, mas apenas um dele é colocado a responsabilidade da umbra. Gon, na umbra, você talvez deva ter os olhos mais abertos. As vezes, o bom guerreiro sabe quando não deve atacar. Alguns espiritos apenas vão parecer querer machucar, mas nem todos são de fato inimigos. E tobi, como um membro novo da tribo, saiba que lhe é esperado algum conhecimento sobre a umbra. As historias umbrais sempre são as mais epicas, na minha opinião. Tenho fé em você filhote.
Katerine escreveu:Katerine então levantava. Chegava bem perto da Furia Negra, quase encostando seu corpo. Com a mão direita, segurava a mão esquerda de Lígia, sentindo sua textura. Em seguida, Colocava a mão esquerda no braço direito de ligia. Bem nas áreas queimadas. Quase que acariando levemente, sentindo a região para ter uma noção tatil da ferida.

-Aproxime seu rosto...e olhe para mim

Encostava a testa na testa de ligia enquanto sussurrava:

-O toque da mãe é importantissmo para a sobrevivência dos outros da nação garou. Quando eu uso, costumo sentir algum vinculo com a pessoa a ser curada. Estou proxima de você para que tente sentir que o toque da mãe é mais do que um dom de cura. Ele ajuda a manter a nação garou, tanto fisicamente, quanto espiritualmente. Feche os olhos. Eu quero que sinta, pois uma boa theurge, deve aprender a ver sem os olhos, e sentir alem do fisico - Katerine então começava a usar o dom Toque da mãe, enquanto usava uma mão para curar, com a outra apertava a mão de Ligia,  quase como se acariciasse tentando conforta-la. então sussura enquanto mantem o rosto proximo, mas agora mais proximo do ouvido, para não atraplhar a concentração da theurge- Sente? a cura não é so física. É espiritual. É uma sintonia com a pureza da Grande Mãe.

Terminando o uso do dom, Katerine começa a se afastar enquanto falava baixo. mas deixando os outros ouvirem:

-vê? Talvez ja tenha sentido o toque da mãe antes, mas talvez nunca assim. Eu usei o dom desta forma para que notasse a nuance espiritual que muitos Garou não percebem neste dom. Este é um conselho que posso lhe dar, de Theurge pra theurge, ou de amiga para amiga, você que sabe* Mas preste atenção no que farei agora.

Dom:
Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Ativar Dom e obteve: 3 2 6 9 2 10
Katerine obteve 3 sucessos!

Lígia seguiu todas as orientações, apesar de ficar um pouco envergonhada se concentrou em cada palavra, nos toques, nos sussurros e também no calor da proximidade entre os corpos. Durante alguns momentos apertou a mão de Katerine e até franziu o nariz devido a dor por mais que tentasse esconder, mas ao final da aplicação do dom, o toque da Uktena causava leves sensações de choque ao terem contato com a pele sensível e recém curada da filhote, que retribuiu o toque apalpando sutilmente o braço esquerdo de Katerine.

Os outros dois filhotes olhavam com interesse no dom, e Tobi mesmo levantando as sobrancelhas em alguns momentos tentou levar aquela ocasião da maneira mais natural possível.

Katerine escreveu:Katerine então se aproxima de Gon, respeitosamente, e o cura com as duas mãos o protegendo. Terminando, chegava a tobi e lhe cava as feridas com as mãos e o curava enquanto tentava confortar a dor.

dom:
Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 5 para Ativar Dom e obteve: 9 3 1 4 7 10
Katerine obteve 2 sucessos!

Katerine rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 4 para Ativar Dom e obteve: 7 4 10 5 5 8
Katerine obteve 6 sucessos!

O resultado da cura surpreendeu a todos, as piores feridas que eram capazes de agredir os olhares, onde a pele em carne viva parcialmente derretida grudava no tecido das roupas, foram reduzidas a pequenas vermelhidões como queimaduras de primeiro grau, e com isso já não era mais algo que causava incômodos constantes capazes de dificultar alguns movimentos.

Katerine escreveu:-Podem me achar Careta, mas eeeuuuuuuu, acho esse dom muito legal.

--Isso foi muito legal!--Respondeu Gon, mostrando sua voz pela primeira vez enquanto tocava as queimaduras que sobraram, que em escala de dor comparada ao estado anterior chegava a ser prazerosa ou insignificante.

*Echo-Echo interrompeu para dar início a assembléia*


***


Antes de dar início Echo-Echo percebe quase que tardiamente que esqueceu de apresentar os filhotes aos convidados, rapidamente faz a apresentação de Katerine de maneira formal e respeitosa a todos os presentes, e a orienta a sentar em um lugar onde possa ter uma boa visão durante a assembléia.
Katerine escreveu:Katerine formalmente se apresentava para os os convidados. Representava o nome de sua importante linhagem, então se mantinha na pose. Tentava se manter carismatica e bem interessada nos assuntos da seita e da tribo.

raciocínio+etiqueta+raça pura:
Katerine rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 8 para Manobra Especial e obteve: 8 2 10
Katerine obteve 2 sucessos!

Katerine rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 8 para Manobra Especial e obteve: 6 9 3 8 2
Katerine obteve 2 sucessos!

Katerine percebeu que atraiu alguns olhares enquanto se apresentava,tinha certeza de que conseguiu impressionar até mesmo os Garou de posto mais alto, ela podia ouvir seu nome e o nome de sua família sendo falado em sussurros em conversas onde era possível observar alguém que conhecia a linhagem e os curiosos se que inclinavam para ouvir.

Katerine escreveu:Durante todo o processo do ritual, ela quase nem pisca. tentava aprender tudo, ver tudo, sentir tudo, espiar na umbra...

Durante o Ritual Katerine tentou observar tudo o que fosse possível, inclusive espiar a Umbra, e com um pouco de concentração pode ver o semblante de Sylvanndis, estava bem vestida e ainda carregava seu arco e aljava, havia também alguns Englings que foram atraídos com a conjuração, perfeito para carregar sua gnose.


***


Lígia escreveu:--Katerine, você vai fazer alguma coisa saindo daqui? Estamos todos afim de comer alguma coisa. E em seguida estávamos pensando em voltar para aquele ultimo pedaço da nossa trilha, onde lutamos com o espírito do fogo, o espírito do Wendigo deve estar ali por perto, eu sei que está, eu senti ele. Como concluímos o Ritual de Passagem a pouco tempo talvez ele nos aceite como matilha. Você pode nos ensinar um pouquinho mais sobre a umbra? Por favor!? Vem com a gente!!
Katerine escreveu:-wird mir ein Vergnügen sein; será um prazer para mim. Vou sim. Estou com fome tambem, estava mesmo agora indo comer algo. Sobre a umbra - Katerine suspira pesadamente e fica seria - Sim, podemos sim. Mas se querem encontrar um avatar do Wendigo, ja aviso para tirar o sorriso da face. Realmente não quero cortar o barato de vocês, mas esse é um espirito da guerra incrivel conhecido por ser uma explosão de furia tão grande que os proprios membros de sua tribo desconfiam dele. * outro suspiro, porem sorrindo e um pouco aliviada * Mas vamos la Cliaths...temos muita coisa para conversar. Eu prometo responder todas suas perguntas e depois uma viagem umbral. Se querem achar o Wendigo, é bom que estejam bem acompanhados Very Happy


-Vamos comer e ir para umbra. Mas tem uma coisa, eu preciso recarregar a minha gnose antes de irmos para a umbra. Okay? mas vamos la comer, então façam as perguntas que quiserem :3

Durante a conversa um garou mais velho se aproxima e acaba ouvindo uma parte:

--Desabrochar-do-Inverno, eu sou Big-Blue, Philodox, Ancião dos Wendigo -- Diz enquanto cumprimenta Katerine com um aperto de mão --Me dê licença por um momento -- Enquanto com as mãos afasta os jovens garou alguns passos dali, e inicia uma conversa com eles com uma clara expressão séria que demonstra preocupação.

percepção+prontidão:
Katerine rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 9 5 3 2 2
Katerine obteve 1 sucesso!

Enquanto absorvia a Gnose espalhada pelo ambiente, Katerine podia ouvir a voz de Big-Blue questionando os jovens Cliath sobre a escolha do totem do Wendigo, a entoação vocal e o intervalo entre as palavras que chegavam a seus ouvidos lembrava a que ela mesma usou ao dar aquele aviso sobre os perigos que envolvem o espírito do Wendigo, porém, ainda era possível sentir a veemência dos três ao defenderem seus motivos e sua escolha. Com sua Gnose reabastecida ela pode ver todos os quatro voltando da conversa e a futura matilha do Wendigo agora carrega uma expressão mais séria, Big-Blue começa a falar:

--Desabrochar-do-Inverno, eu vou me apresentar direito, eu sou Big-Blue, ou Bruce, sou Ancião Philodox dos Wendigo, e sou conhecedor das historias da sua linhagem, a proposito, eu sinto muito por Heinz, que descanse em paz, e também tive o prazer de conhecê-lo, gostaria de ter conversado mais com ele. E eu posso ver que você é bem esforçada para manter a boa imagem da sua linhagem, até seus feitos já começam a chegar aos meus ouvidos, foi por esses motivos que pedi para Echo-Echo fazer seu convite, e... --Faz uma pausa enquanto coça a sobrancelha, em seguida olha para os três novos cliath e arrasta Katerine para alguns passos distante de modo que possa falar apenas com ela. --Eu me pergunto o que é que esses três têm na cabeça, têm conhecimento raso da umbra, quase morreram ou se mataram, e agora querem o totem do Wendigo, isso vai ser perigoso demais pra eles. Eu gostaria que você pudesse os ensinar ou os preparar durante o inicio da caçada espiritual deles, mas o Wendigo? Até eu fui pego de surpresa com isso. Não deve ser trabalhoso pra você, eu vi que você está sendo muito acolhedora com eles, e não sei se é unicamente devido a sua linhagem, mas logo que você se apresentou na assembléia eu sabia que tinha feito bem em pedir que viesse, eu até vou deixar o meu fetiche com você durante a jornada. Pode deixar eles por conta própria na hora de seguir os rastros ou selar o pacto com o Wendigo, isso é mais pra caso alguma coisa aconteça, e não importa a escolha que você tenha que fazer, eu confio que vai ser a escolha certa, eles fizeram a escolha deles. --Devolvendo Katerine ao grupo Big-Blue termina a conversa --Vou ajudar a recolher os instrumentos, quando vocês voltarem daremos início ao Ritual de Totem, naquela direção tem uma hamburgueria ótima, e Tobi, o representante dos Uktena pediu pra dizer que vocês vão poder comer o que quiserem, vocês vão MESMO precisar disso hoje.

Dessa vez os três Cliath parecem sérios, não carregam um sorriso, apenas a notícia de que teriam comida de graça soou agradavelmente para que pudessem seguir tranquilamente na direção da hamburgueria.

--O mentor está bravo?

--Ele provavelmente acha que a gente não é capaz.

--Ele só ta preocupado, todo mundo já esperava que ele agiria dessa maneira, seria uma surpresa se ele concordasse com a gente.


***


Chegando na hamburgueria logo foram reconhecidos pelas marcas feitas durante o ritual de iniciação, e Katerine por sua postura notória de raça pura. Foram bem recebidos e logo direcionados a uma mesa onde o atendente os lembrou mais uma vez que já estava tudo pago e que poderiam pedir o que quiserem.

Gon só sabia falar em carne mas não sabia se decidir quanto ao acompanhamento, acabou que Tobi escolheu por ele, pediu filé com molho de acompanhamento para seu parceiro, e pra si mesmo um x-tudo clássico. Lígia pediu um x-salada, como acompanhamento uma porção de batatas com bacon no centro da mesa onde todos poderiam pegar a vontade.

--Agora sim to me sentindo valorizado!

--Desabrochar-do-Inverno, o que vocês conversaram?

--Gon, vai com calma, se fosse pra a gente saber ele nos falaria. Agora eu to um pouco curioso sobre a sua linhagem, você pareceu bem importante. Seu jeito de se apresentar, e eu também ouvi seu nome passando de boca em boca.

Status:
Katerine - Fúria 2, Gnose 4, FV 4
Lígia - Escoriada - Fúria 6, Gnose ?, FV ?
Tobi - Fúria 4, Gnose ? FV ?
Gon - Escoriado, Fúria 5, Gnose ?, FV ?
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 156
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Crios em Ter Set 25, 2018 8:43 pm

Spoiler:

--Seremos uma matilha de guerreira, é com o apocalipse que estamos lidando, estamos dispostos a viver e morrer lutando por Gaia.

Katerine da um sorrisinho de canto de boca.

-Bom que pensa assim. Mas não apenas de guerra que vivem os guerreiros. Lembre-se disso


--Isso foi muito legal!--Respondeu Gon, mostrando sua voz pela primeira vez enquanto tocava as queimaduras que sobraram, que em escala de dor comparada ao estado anterior chegava a ser prazerosa ou insignificante.

“oh, então essa é a voz do lupino. Acho que consegui lhe cativar um pouco”


Durante a conversa um garou mais velho se aproxima e acaba ouvindo uma parte:

--Desabrochar-do-Inverno, eu sou Big-Blue, Philodox, Ancião dos Wendigo -- Diz enquanto cumprimenta Katerine com um aperto de mão --Me dê licença por um momento -- Enquanto com as mãos afasta os jovens garou alguns passos dali, e inicia uma conversa com eles com uma clara expressão séria que demonstra preocupação.

-Prazer Big-Blue. Estou honrada em estar neste Caern.


--Desabrochar-do-Inverno, eu vou me apresentar direito, eu sou Big-Blue, ou Bruce, sou Ancião Philodox dos Wendigo, e sou conhecedor das historias da sua m ele. E eu posso ver que você é bem esforçada para manter a boa imagem da sua linhagelinhagem, a proposito, eu sinto muito por Heinz, que descanse em paz, e também tive o prazer de conhecê-lo, gostaria de ter conversado mais com, até seus feitos já começam a chegar aos meus ouvidos, foi por esses motivos que pedi para Echo-Echo fazer seu convite, e... –

-Obrigada Big-Blue. Eu me esforço bastante. – Katerine falava com peso na voz – Heinz era tão bom pai quanto um guerreiro justo.


-Faz uma pausa enquanto coça a sobrancelha, em seguida olha para os três novos cliath e arrasta Katerine para alguns passos distante de modo que possa falar apenas com ela. --Eu me pergunto o que é que esses três têm na cabeça, têm conhecimento raso da umbra, quase morreram ou se mataram, e agora querem o totem do Wendigo, isso vai ser perigoso demais pra eles.
-Posso ser honesta? Meu pensamento está muito próximo do seu. Se não se importa, vou fazer um pequeno teste...

Eu gostaria que você pudesse os ensinar ou os preparar durante o inicio da caçada espiritual deles, mas o Wendigo? Até eu fui pego de surpresa com isso. Não deve ser trabalhoso pra você, eu vi que você está sendo muito acolhedora com eles, e não sei se é unicamente devido a sua linhagem, mas logo que você se apresentou na assembléia eu sabia que tinha feito bem em pedir que viesse, eu até vou deixar o meu fetiche com você durante a jornada. Pode deixar eles por conta própria na hora de seguir os rastros ou selar o pacto com o Wendigo, isso é mais pra caso alguma coisa aconteça, e não importa a escolha que você tenha que fazer, eu confio que vai ser a escolha certa, eles fizeram a escolha deles.

-Certo. Farei desta forma. Para mim será um enorme prazer senhor. Tenho certeza que Hainz faria o mesmo. Faço questão de estar la para aconselha-los. Eles vão precisar. Eu na verdade vou testar eles...Se forem ao Wendigo assim crus, vão virar lanche. Mas relaxa, não estou disposta a deixar 3 garous se ferrar gratuitamente sem fazer nada. Tenho apenas as melhores das intenções com eles.


--Devolvendo Katerine ao grupo Big-Blue termina a conversa --Vou ajudar a recolher os instrumentos, quando vocês voltarem daremos início ao Ritual de Totem, naquela direção tem uma hamburgueria ótima, e Tobi, o representante dos Uktena pediu pra dizer que vocês vão poder comer o que quiserem, vocês vão MESMO precisar disso hoje.

-Pode deixar kkk

Dessa vez os três Cliath parecem sérios, não carregam um sorriso, apenas a notícia de que teriam comida de graça soou agradavelmente para que pudessem seguir tranquilamente na direção da hamburgueria.

--O mentor está bravo?

--Ele provavelmente acha que a gente não é capaz.

--Ele só ta preocupado, todo mundo já esperava que ele agiria dessa maneira, seria uma surpresa se ele concordasse com a gente.

Katerine mantinham as aparências. Ela falava suavemente.

-Ele estava apenas me instruindo sobre algumas coisas daqui. Mas de qualquer maneira. Vamos comer primeiro, depois falaremos sobre ele. Ok?


Chegando na hamburgueria logo foram reconhecidos pelas marcas feitas durante o ritual de iniciação, e Katerine por sua postura notória de raça pura. Foram bem recebidos e logo direcionados a uma mesa onde o atendente os lembrou mais uma vez que já estava tudo pago e que poderiam pedir o que quiserem.

Gon só sabia falar em carne mas não sabia se decidir quanto ao acompanhamento, acabou que Tobi escolheu por ele, pediu filé com molho de acompanhamento para seu parceiro, e pra si mesmo um x-tudo clássico. Lígia pediu um x-salada, como acompanhamento uma porção de batatas com bacon no centro da mesa onde todos poderiam pegar a vontade.

Katerine ria olhando a sinergia dos garous. Achava engraçado mas legal. Eles já são matilha. Só não tem totem ou nome ainda. Mas claramente são matilha. Quando chegava sua vez de pedir, ela pedia um prato com Macarrão temperado, fritas, ovos de codorna e peixe.


--Agora sim to me sentindo valorizado!

Katerine fazia uma exagerada concordância com a cabeça:

Spoiler:

-Aaah sim. Com certeza.


--Desabrochar-do-Inverno, o que vocês conversaram?

Katerine olha com surpresa, e seria para Gon, começava a pensar em uma resposta, quando foi interrompida pela voz de tobi.

--Gon, vai com calma, se fosse pra a gente saber ele nos falaria. Agora eu to um pouco curioso sobre a sua linhagem, você pareceu bem importante. Seu jeito de se apresentar, e eu também ouvi seu nome passando de boca em boca.

Katerine fechava os olhos. Limpava a boca com um guardanapo, tirando um pouco do seu batom. Suspirava lentamente.........segundos de silencio.....Abria os olhos, e seria dizia:

-Tobi. Deixe Gon. Ele esta ansioso. Se querem saber, tudo bem. Big-Blue não está brava com vocês. Ele veio falar sobre o ritual de totem. Vamos primeiro terminar de comer com calma. Então quando voltarmos a seita, estaremos em um lugar mais adequado. Uma coisa de cada vez. O que vocês precisam saber agora, é que eu vou oficialmente acompanhar o ritual de vocês de perto, em nome da seita. Estou disposta a ajudar vocês, e não foi só por que Big-Blue me pediu e vai me dar um fetiche para fazer isso... – Katerine mordia um pedaço do seu peixe deixando a mesa em silencio. - Ah não ser que tenham algo contra isso, é claro. Enfim. Ele se importa com vocês. Bastante.

-Sobre a minha linhagem, eu pensei que soubessem já. Mas acho que seriam bom saber bem quem sou, não é? Meu nome é Katerine. Sou filha de um Uktena importante com um currículo incrível. Seu nome era Hainz Rosenstock. E sou filha de uma parente também raça pura. Seu nome é Mia, da família de origem irlandesa e presença britanica, Reagan. Eu, sou filha de um casamento arranjado para proclamar a aliança oficial entre as duas casas. Sou exposta como um troféu as vezes. As vezes isso incomoda até. Mas de qualquer forma, cada uma das familhas tem um longo histórico de pessoas que marcaram a história da nação garou. Lembra quando lhe falei de Hainz? Que quando cercado por inimigos armados com armas de prata, foi perfurado com uma espada na barriga, mas ao em vez de se render, puxou a arma do inimigo para dentro do seu próprio corpo, apenas para ficar mais perto do inimigo? Se quiser saber mais, pode ir comigo a Alemanha um dia desses. Minha seita natal fica por la. Com certeza os Galliards dos fianna poderão lhe instruir melhor sobre as historias dos Reagan e os Galliards daqui poderão lhe falar mais sobre os Rosenstock, de nossa própria tribo, tobi. Eu tenho sangue de ambas as tribos, e tenho orgulho disso. Mas o que você ouviu deles Tobi?



Katerine então contava algumas das historias de familha que conhecia e depois, deixava eles falarem.

-Ligia, você tinha mencionado querer saber algumas coisas da umbra não é? E ah, e falando nisso quem de você vai assumir como alfa? – Dizia kate enquanto terminava de comer.

Em outro momento, katerine deixa escapar:
-Cara. Adorei vocês. Serio. Kkk é um enorme prazer jantar com vocês S2


Terminando de comer sua sobremesa, katerine dizia:

-Senhores. É chegada a hora. Vamos voltar para a seita? Precisamos falar sobre o Wendigo...Vamos ter papo de adulto, vocês já não são mais filhotes, então hora de falarmos sério. Vamos pela umbra...



(***)




Katerine deixava eles falarem, ou complementarem algo, e se não houvesse mais nenhum assunto em aberto entraria na umbra. Enquanto caminhavam, katerine apenas cantava em élfico, ignorando tudo ao seu redor. Estava chamando sylvanndis. No meio do caminho. Katerine parava em algum lugar. Ainda de costas, falava “agora, esperem eu terminar de falar antes de falar okay?”. A theurge se vira e usa o dom de persuasão. Usando FV


As palavras de katerine de primeira irão parecer ameaça. Mas essa não é a intensão. É usar as palavras para fazer os filhotes caírem na real. É um teste. Ela que mexer com a cabeça dela e fazer eles pensarem bem se é de fato isso que querem. Uma matilha do Wendigo precisa ser firme, e se esses caras não forem firmes, então nunca serão uma matilha de verdade. Eles precisam ser íntegros e confiar bastante neles mesmos. Se não, a matilha vai morrer em sua primeira batalha. Katerine esta tanto testando eles com palavras, quanto motivando e provocando. Ela quer ver até onde vai a determinação de cada um. Se eles não aguentarem umas palavrinhas feias, não vão aguentar um xingão do wendigo.

-Hora de ter papo de adulto....sobre o wendigo. tem certeza que querem seguir este totem? independente do que decidam, eu quero ajudar, mas antes, algumas coisas precisam ser ditas sobre este espirito e voces precisarão ouvir com atenção


Spoiler:



-Big-blue me pediu para que eu fosse junto com vocês para buscar o wendigo. Ele vai me emprestar um fetiche para isso, com meu conhecimento umbral e uma carta na minha manga, sera uma ajuda considerável para vocês todos que parecem bem determinados, mas principalmente você lígia. Foi quem mais insistiu no totem. Big-Blue me falou Algumas coisas. Vocês foram a umbra e entraram em batalha com um espirito pacifico. Seus conhecimentos com a umbra são rasos, e vocês estão prestes a fazer uma jornada espiritual logo depois de quase ter morrido em uma. –Katerine aponta para Ligia – Você quer ser a alfa theurge? ENTÃO MOSTRE AO SEUS AMIGOS QUE NÃO ESTARÃO COMETENDO SUICÍDIO INDO AO ENCONTRO DIRETO COM O ESPIRITO QUE QUEIMA EM FURIA, SEGUINDO SUA LIDERANÇA. SENDO QUE FOI VOCÊ MESMO QUE COGITOU COMER SEUS AMIGOS – Katerine levantava o tom, e se aproximava – Big-Blue acha que vocês estão loucos! Pelo visto não é só ele na seita. POR QUE QUEREM TANTO O WENDIGO? SE QUEREM TANTO ELE, VÃO TER QUE TER DISPOSIÇÃO PRA APANHAR, PRA QUEIMAR EM FÚRIA E VER AS PESSOAS QUE MAIS AMAM AO SEU REDOR SEREM QUEIMADAS. as pessoas mais amadas temerão vocês, é um caminho sem volta.  


 – Katerine olhava bem para eles – ME FAÇAM ACREDITAR QUE EU ESTOU AJUDANDO UMA MATILHA E NÃO FILHOTES QUE NÃO SABEM ONDE ESTÃO SE METENDO. ME DEM MOTIVOS PARA VOLTAR A MINHA TERRA FALANDO – katerine fala num tom extremamente orgulhosa, olhando para todos – “EU AJUDEI A FODENDO MATILHA DO WENDIGO. E EU ACHO ELES DO CARALHO”. EU ACHO VOCÊS DO CARALHO, MAS AGORA, VOCÊS SÃO MESMO DO CARALHO PARA ENCARAR A FURIA ENCARNADA? O WENDIGO NAO VAI TER PIEDADE. NEM DOS INIMIGOS, NEM DE VOCES, NEM QUEM GOSTAM. VOCES PRECISAM ME MOSTRAR SE TEM CULHÕES PARA AGUENTAR UM ESPIRITO TÃO FURIOSO, SE TEM CULHOES PARA NAO SE DEIXAR LEVAR PELO FRENESI, COMEREM UNS AOS OUTROS, E SUCUMBIR A SOLIDAO FRIA DESTE ESPIRITO. SEGURAR O FRENESI E NAO MATAR SEUS ALIADOS É UM BOM COMECO. SE NEM A PRÓPRIA TRIBO CONFIA NELE. ENTÃO SE NEM ELES CONFIAM, POR QUE EU DEVERIA CONFIAR EM VOCES? 

-Se me convencerem que tem valentia e maturidade eu vou pegar o fetiche, e fazer o inferno na terra para ajudar vocês em tudo que puder nem que eu mesma fale com o Wendigo ou me jogue no rio de prata derretida do reino de érebo. É isso, ou eu não sou Desabrochar do Inverno!

Spoiler:

Katerine chegava muito perto de ligia quase encostando nela mas agora mudando a abordagem. No fundo, a uktena tinha sentido talvez um pouco mais de empatia por ela. Ligia desperatava....algo....em kate. Talvez fosse a maneira como ela se via em ligia. Ela queria botar isso a prova e provocar a onça sem vara pra saber o que isso era.

-Quer ser alfa da matilha do wendigo não quer garota? voce tem perfil, Então mostra do que tu é feita! Mostra pra mim, que tu não é so uma gostosa! Mostra que tu é ousada e vai liderar essa matilha tão bem que não vai deixar ninguém se matar em frenesi – Dizia katerine praticamente esbarrando nela – Você tem amigos atrás de ti que tem um potencial fudido para uma matilha fudida. Se big-Blue não vê isso, eu vejo, mas precisa de mais que isso garota para ser adotada pelo Wendigo. E ai? Ta esperando o que FURIA NEGRA? Se quer mostrar pra eles que estão errados, então vai ter que mostrar pra mim primeiro! - Katerine cutucava acima dos seios, abaixo da base do pescoco - Vai ter que mostrar que é mulher, e se nao consegue aguentar uns dedos provocativo e umas palavras pesadas, nunca vai conseguir chamar o wendigo sem matar a todos num frenesi. VEM GAROTA! PROVA QUE TU PODE. QUERO SABER POR QUE TU ME DESPERTOU ALGO. O QUE MEU INSTINTO DIZ? PODER TALVEZ? POTENCIAL? MOSTRA PRA ELES QUE ESTAO TODOS ERRADOS E QUE VOCES SAO MAIS QUE FILHOTES. SE NAO ME PROVAR QUE TU É FODA E QUE PODE SEGURAR A FURIA DO WENDIGO AGORA, É O FIM!!!


Katerine ficava cara a cara ainda com ligia, olhando-a nos olhos. e depois, olhando para o resto da matilha.

_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios

Mensagens : 265
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Kurosatsunomori em Sex Set 28, 2018 1:43 am

A organização das mesas eram em pares, todos estavam sentados de modo que ficasse dividido de um lado as mulheres e do outro os homens.
mesa:

Katerine escreveu:Katerine fechava os olhos. Limpava a boca com um guardanapo, tirando um pouco do seu batom. Suspirava lentamente.........segundos de silencio.....Abria os olhos, e seria dizia:

-Tobi. Deixe Gon. Ele esta ansioso. Se querem saber, tudo bem. Big-Blue não está brava com vocês. Ele veio falar sobre o ritual de totem. Vamos primeiro terminar de comer com calma. Então quando voltarmos a seita, estaremos em um lugar mais adequado. Uma coisa de cada vez. O que vocês precisam saber agora, é que eu vou oficialmente acompanhar o ritual de vocês de perto, em nome da seita. Estou disposta a ajudar vocês, e não foi só por que Big-Blue me pediu e vai me dar um fetiche para fazer isso... – Katerine mordia um pedaço do seu peixe deixando a mesa em silencio. - Ah não ser que tenham algo contra isso, é claro. Enfim. Ele se importa com vocês. Bastante.

A atitude de Katerine em mostrar que não veria problema em responder as duas perguntas prendeu a atenção de todos, mesmo que permanecessem comendo enquanto ouviam, ou que parecessem concentrados ou olhando para outras coisas, já  Tobi aparentava estar fortemente concentrado.
Tobi (Vibra-Pluma):

Katerine escreveu:-Sobre a minha linhagem, eu pensei que soubessem já. Mas acho que seriam bom saber bem quem sou, não é? Meu nome é Katerine. Sou filha de um Uktena importante com um currículo incrível. Seu nome era Hainz Rosenstock. E sou filha de uma parente também raça pura. Seu nome é Mia, da família de origem irlandesa e presença britanica, Reagan. Eu, sou filha de um casamento arranjado para proclamar a aliança oficial entre as duas casas. Sou exposta como um troféu as vezes. As vezes isso incomoda até. Mas de qualquer forma, cada uma das familhas tem um longo histórico de pessoas que marcaram a história da nação garou. Lembra quando lhe falei de Hainz? Que quando cercado por inimigos armados com armas de prata, foi perfurado com uma espada na barriga, mas ao em vez de se render, puxou a arma do inimigo para dentro do seu próprio corpo, apenas para ficar mais perto do inimigo? Se quiser saber mais, pode ir comigo a Alemanha um dia desses. Minha seita natal fica por la. Com certeza os Galliards dos fianna poderão lhe instruir melhor sobre as historias dos Reagan e os Galliards daqui poderão lhe falar mais sobre os Rosenstock, de nossa própria tribo, tobi. Eu tenho sangue de ambas as tribos, e tenho orgulho disso. Mas o que você ouviu deles Tobi?

Ao final da fala de Katerine o olhar concentrado de Tobi parecia atravessar seu corpo, poucos segundos após sua pergunta um sorriso começava a acompanhar seu olhar.

Tobi (Vibra-Pluma):

--Casamento arranjado, aliança dos Fianna com os Uktena, raça pura, filha de Heinz, algo assim, mas não nessa ordem. Heinz fez muito por nossa tribo, disso eu sei, agora com o lado Regan da história é o meu primeiro contato.

Katerine escreveu:-Ligia, você tinha mencionado querer saber algumas coisas da umbra não é? E ah, e falando nisso quem de você vai assumir como alfa? – Dizia kate enquanto terminava de comer.

--Nós não chegamos a conversar diretamente sobre isso, temos conhecimentos que se complementam, cada um liderou durante uma parte do nosso percurso. Eu tenho confiança quando digo que essa matilha VAI dar certo, confio minha vida a eles e faria o que fosse necessário para proteger eles também...

--É você mesma! --Tobi interrompe.

O olhar de lígia é recebido com acenos e olhares de aprovação pelos outros dois Garou. Uma conversa de olhares e sorrisos parece estar acontecendo entre todos os três até que Lígia encontra as palavras para dizer "--Obrigada, por confiarem em mim.".

Katerine escreveu:Em outro momento, katerine deixa escapar:
-Cara. Adorei vocês. Serio. Kkk é um enorme prazer jantar com vocês S2

Todos agradeceram igualmente a presença de Katerine e sua companhia enquanto comiam. Ao final do almoço Lígia ainda pediu um milk shake e ficou satisfeita após comer algumas batatas, Gon ainda pediu churrasco ao terminar seu filé, Tobi pediu um refrigerante e não sossegou até comer a última fatia de bacon e a última batata frita da mesa, mesmo as que sobraram do prato de Katerine, e aproveitou também o molho que havia sido pedido para Gon que também já estava satisfeito.

Katerine escreveu:Terminando de comer sua sobremesa, katerine dizia:

-Senhores. É chegada a hora. Vamos voltar para a seita? Precisamos falar sobre o Wendigo...Vamos ter papo de adulto, vocês já não são mais filhotes, então hora de falarmos sério. Vamos pela umbra...


(***)


Katerine escreveu:Katerine deixava eles falarem, ou complementarem algo, e se não houvesse mais nenhum assunto em aberto entraria na umbra. Enquanto caminhavam, katerine apenas cantava em élfico, ignorando tudo ao seu redor. Estava chamando sylvanndis. No meio do caminho. Katerine parava em algum lugar. Ainda de costas, falava “agora, esperem eu terminar de falar antes de falar okay?”. A theurge se vira e usa o dom de persuasão. Usando FV

Dom: Persuasão:
Carisma + Lábia
(Não apliquei raça pura pois essa é uma ativação de dom e não teste social.)

Qualidades: Voz Encantadora; Herança Notável (não são aplicáveis para ativação deste dom já que a resolução não está relacionada a uma interação.)

Katerine rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Ativar Dom e obteve: 1 10 9 10
Katerine obteve 2 sucessos!
+1 por sucesso automático (Devido o seu empenho com a postagem não será necessário o gasto de FV)

Total de sucessos: 3.

Katerine escreveu:-Hora de ter papo de adulto....sobre o wendigo. tem certeza que querem seguir este totem? independente do que decidam, eu quero ajudar, mas antes, algumas coisas precisam ser ditas sobre este espirito e voces precisarão ouvir com atenção...
Katerine escreveu:...Katerine levantava o tom, e se aproximava – Big-Blue acha que vocês estão loucos! Pelo visto não é só ele na seita. POR QUE QUEREM TANTO O WENDIGO? SE QUEREM TANTO ELE, VÃO TER QUE TER DISPOSIÇÃO PRA APANHAR, PRA QUEIMAR EM FÚRIA E VER AS PESSOAS QUE MAIS AMAM AO SEU REDOR SEREM QUEIMADAS. as pessoas mais amadas temerão vocês, é um caminho sem volta...  
Katerine escreveu:...-Se me convencerem que tem valentia e maturidade eu vou pegar o fetiche, e fazer o inferno na terra para ajudar vocês em tudo que puder nem que eu mesma fale com o Wendigo ou me jogue no rio de prata derretida do reino de érebo. É isso, ou eu não sou Desabrochar do Inverno!...
Katerine escreveu:...Katerine cutucava acima dos seios, abaixo da base do pescoco - Vai ter que mostrar que é mulher, e se nao consegue aguentar uns dedos provocativo e umas palavras pesadas, nunca vai conseguir chamar o wendigo sem matar a todos num frenesi. VEM GAROTA! PROVA QUE TU PODE. QUERO SABER POR QUE TU ME DESPERTOU ALGO. O QUE MEU INSTINTO DIZ? PODER TALVEZ? POTENCIAL? MOSTRA PRA ELES QUE ESTAO TODOS ERRADOS E QUE VOCES SAO MAIS QUE FILHOTES. SE NAO ME PROVAR QUE TU É FODA E QUE PODE SEGURAR A FURIA DO WENDIGO AGORA, É O FIM!!!

Intimidação:
Manipulação + lábia + Raça Pura

Qualidades: Voz Encantadora, Herança Notável.
Dom: Persuasão.

Katerine rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 2 para Manobra Especial e obteve: 7 1 5 8 10 5 4
Katerine obteve 5 sucessos!

Resistência = FV
Lígia rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 8 7 9 2 9 10
Lígia obteve 5 sucessos!

Katerine falava palavras fortes em tom alto e claro, mas isso não foi o suficiente para abalar Lígia que se manteve firme ouvindo todo o discurso, mesmo o momento em que Katerine se aproximou como se estivesse esbarrando, a Fúria Negra levantou a postura de modo que os seios de ambas se tocassem, e sem permitir que a respiração e a fala da Theurge de Raça Pura a fizesse virar o rosto. O olhar não revelava medo, receio, insegurança, dúvida, raiva ou qualquer tipo de sorriso, ao contrário disso Lígia se mantinha plena.

Engambelação:
Manipulação + Lábia + Raça Pura
Dif = 5 (Raciocínio + Manha do alvo)

Qualidades: Voz Encantadora, Herança Notável.
Dom: Persuasão

Katerine rolou 9 dados de 10 lados com dificuldade 1 para Manobra Especial e obteve: 5 3 6 9 8 1 7 4 5
Katerine obteve 9 sucessos!

Os seios ainda se encostavam, Lígia relaxou os músculos do pescoço logo que teve a oportunidade de falar, e prosseguiu assim sem que tamanha proximidade a fizesse se dobrar ao menos um pouco para trás, sem o receio de encostar em Kate, mas se sentia obrigada a responder.

--Todos sabemos dos riscos, o Wendigo não e Wyrm, e como combatemos nossos inimigos se temos medo do que queremos proteger? Não se trata de procurar alternativas seguras, não se trata de impressionar alguém, e eu tenho ouvido isso. O que não faltou foi gente discordando e tentando desmotivar a gente. Essa caçada vai ser perigosa em todos os aspectos e mesmo o nosso sucesso pode significar o nosso exílio, e depois disso, esse preconceito que todos nós sabemos que sempre existiu vai ser esfregado na nossa cara, mas nós poderemos bater de frente, pois sabemos da nossa capacidade e estamos dispostos a nos arriscar nisso até o fim. Eu sei que você quer motivos para acreditar que não vamos sair por aí fazendo cagada, porque nesta situação você estará junto também, mas essa trilha é nossa. Gon foi contra o próprio mentor quando tomou essa decisão, Tobi foi chamado de fraco enquanto EU trilhei com ele e vi o quanto ele é determinado, e quanto a mim, eu jamais seria reconhecida se entrasse para um time de futebol apenas por ser mulher. Eu não estou fazendo isso para ter algum reconhecimento, estamos fazendo isso, por autoria nossa, porque sabemos mais do que qualquer um dentre esses que apontam pra nós, e isso já foi decidido.--Em um pequeno relance Lígia olha para baixo e pode ver os seios se tocando, mas volta sua atenção para os olhos de Katerine.

Sylvanndis estava por perto e pode ouvir a conversa, a presença da elfa vestida como de costume para a participação em assembleias chamou a atenção de todo o grupo que por um momento se viraram para olhar mas logo retornaram as atenções para as duas Theurges. instintivamente os novos Garou perceberam aquela presença como não-hostil mesmo ela estando portando um arco. Tobi ainda se virou para olhar a elfa mais algumas vezes, mas seu interesse maior ainda era a conversa. Logo a presença da numen deixou de ser motivo de estranheza, e se mantinha pacientemente calada aguardando algum sinal de Katerine.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 156
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Crios em Qua Out 03, 2018 6:34 pm

Spoiler:

Os seios ainda se encostavam, Lígia relaxou os músculos do pescoço logo que teve a oportunidade de falar, e prosseguiu assim sem que tamanha proximidade a fizesse se dobrar ao menos um pouco para trás, sem o receio de encostar em Kate, mas se sentia obrigada a responder.

--Todos sabemos dos riscos, o Wendigo não e Wyrm, e como combatemos nossos inimigos se temos medo do que queremos proteger? Não se trata de procurar alternativas seguras, não se trata de impressionar alguém, e eu tenho ouvido isso. O que não faltou foi gente discordando e tentando desmotivar a gente. Essa caçada vai ser perigosa em todos os aspectos e mesmo o nosso sucesso pode significar o nosso exílio, e depois disso, esse preconceito que todos nós sabemos que sempre existiu vai ser esfregado na nossa cara, mas nós poderemos bater de frente, pois sabemos da nossa capacidade e estamos dispostos a nos arriscar nisso até o fim. Eu sei que você quer motivos para acreditar que não vamos sair por aí fazendo cagada, porque nesta situação você estará junto também, mas essa trilha é nossa. Gon foi contra o próprio mentor quando tomou essa decisão, Tobi foi chamado de fraco enquanto EU trilhei com ele e vi o quanto ele é determinado, e quanto a mim, eu jamais seria reconhecida se entrasse para um time de futebol apenas por ser mulher. Eu não estou fazendo isso para ter algum reconhecimento, estamos fazendo isso, por autoria nossa, porque sabemos mais do que qualquer um dentre esses que apontam pra nós, e isso já foi decidido.--Em um pequeno relance Lígia olha para baixo e pode ver os seios se tocando, mas volta sua atenção para os olhos de Katerine.

Katerine ouvia quieta. Era a vez de Ligia falar. Enquanto ela falava, kate sequer movia seu corpo ou olhar, mantendo-o fixamente. Sabia que precisava manter a intimidação. Erguia uma sombranselha para ligia quando esta olhava seus seios. Sua cabeça estava ainda digerindo tudo oque a furia disse com tanta calma. É interrompida porem com a chegada de Sylvanndis, a quem olha rapidamente, faz um rápido e bastante sutil gesto. Voltando novamente as atenções para Ligia. Estava mais calma do que esperado. Essa plenitude era demonstrada em seu tom de voz. Mantinha-o com clareza nas palavras, sem dissoar com o timbre. Isso era sinal de que ligia era verdadeira.

Quando a Furia termina de falar, katerine mante-se olhando-a diretamente, tentando refletir, absorver e sintetizar a obra geral. Enche os pulmões de ar, levanta o queixo, ainda em sinal de superioridade. Queria ver até onde Ligia chegava, e realmente viu bastante. Ela se saiu muito bem até aqui, muito melhor que o esperado na verdade.Porém, o olhar mantinha-se como uma defrontação.

Spoiler:

-Você se engana em uma coisa, Furia. Eu quero provas de que não farão cagada, não por mim. Mas por vocês. Mais do que qualquer um, vocês precisarão ser capazes de segurar os próprios impulsos. E de forma nenhuma estou disposta a ajudar uma matilha que quer seguir o Wendigo, mas não consegue seguir nem a própria razão direito. E é isso que os outros pensam de vocês.

Katerine faz uma pausa. Da um passo para traz e começa a olhar gon e tobi, voltando sua atenção para ligia e terminar a conversa. Inicialmente fala mais alto, direcionando a voz para os dois filhotes sentados.

-Tobi e gon. Vocês tem plenitude da líder de vocês? Se vocês agirem com a calma que a alfa de vocês agiu, então talvez não precisarão temer ela querer comer vocês...espero...

Abaixando o volume, mas agora falando para Ligia naquele mesmo tom tenso.

-Ser alfa significa muitas vezes ser a voz que guiara a matilha mediante a palavras duras dos mais velhos. Eu, realmente, espero mesmo Ligia que tenha tanta convicção em suas palavras para defende-las perante a seus anciões como defendeu contra mim. E espero que vocês todos(!), Tenham total ciência de que este foi apenas um, dos vários testes que farão ao seu caráter. Mas se forem tão firme quando esta Furia negra, não temerão o resultado dessas provações vindouras.

Rosenstock abaixava o tom:

-Mas, você me convenceu, por agora. Vocês não tem que me mostrar mais nada não aqui pelo menos... – Kate se vira em direção a seita, mantendo o tom duro, porém, claramente já mais apaziguado. – Vou voltar a seita.  O wendigo não vai esperar pra sempre. Se é isso que vocês dizem querer tanto assim, então vamos. Terão o meu apoio


Com corpo virado, ela da um sorriso. Estava contente com a resposta, mas não queria mostrar que sorriu. Virando o rosto na direção de Sylvanndis, mostra o sorriso. Para alguém ela poderia mostrar kkkk Então, quieta, ela caminha em direção a seita like a boss

_________________
"Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar"
Katerine Regan Rosenstock. Desabrochar-do-Inverno

Falas. Narrativa/ação. Off/Pensamentos
avatar
Crios

Mensagens : 265
Data de inscrição : 27/03/2017
Localização : http://lobisomemrpg.forumeiros.com/t61-katerine-rosenstock-hominio-theurge-uktena

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Kurosatsunomori em Seg Out 08, 2018 1:48 am

Katerine escreveu:-Você se engana em uma coisa, Furia. Eu quero provas de que não farão cagada, não por mim. Mas por vocês. Mais do que qualquer um, vocês precisarão ser capazes de segurar os próprios impulsos. E de forma nenhuma estou disposta a ajudar uma matilha que quer seguir o Wendigo, mas não consegue seguir nem a própria razão direito. E é isso que os outros pensam de vocês.
Katerine escreveu:-Tobi e gon. Vocês tem plenitude da líder de vocês? Se vocês agirem com a calma que a alfa de vocês agiu, então talvez não precisarão temer ela querer comer vocês...espero...

Durante essa fala Katerine pode ver que Gon está olhando focadamente em seus olhos, e que Tobi reveza a atenção e observa um pouco de tudo, a afinidade com a elfa, a intimidação e a resistência no confronto entre as Theurges.

Katerine escreveu:-Ser alfa significa muitas vezes ser a voz que guiara a matilha mediante a palavras duras dos mais velhos. Eu, realmente, espero mesmo Ligia que tenha tanta convicção em suas palavras para defende-las perante a seus anciões como defendeu contra mim. E espero que vocês todos(!), Tenham total ciência de que este foi apenas um, dos vários testes que farão ao seu caráter. Mas se forem tão firme quando esta Furia negra, não temerão o resultado dessas provações vindouras.
Katerine escreveu:-Mas, você me convenceu, por agora. Vocês não tem que me mostrar mais nada não aqui pelo menos... – Kate se vira em direção a seita, mantendo o tom duro, porém, claramente já mais apaziguado. – Vou voltar a seita.  O wendigo não vai esperar pra sempre. Se é isso que vocês dizem querer tanto assim, então vamos. Terão o meu apoio
Katerine escreveu:Com corpo virado, ela da um sorriso. Estava contente com a resposta, mas não queria mostrar que sorriu. Virando o rosto na direção de Sylvanndis, mostra o sorriso. Para alguém ela poderia mostrar kkkk Então, quieta, ela caminha em direção a seita like a boss

Com o fim da conversa e sem que mais palavras sejam ditas Katerine segue pelo caminho em direção a seita ao lado de sua númen logo que se encontram em distância próxima.

Frontline acompanhou os passos de Desabrochar do Inverno instintivamente como um lobo que segue seu líder, mas faz uma pausa olhando pra trás para esperar Lígia que permanecia de costas olhando para... algum lugar, até que Tobi se aproximou com um toque leve no ombro de Luz-Viva, e então seguiram todos juntos pelo caminho em direção a seita, ficando alguns passos atrás de Katerine e sua númen.


(***)


Chegando na seita Big-Blue estava sentado segurando uma cuia e se divertindo enquanto negava o pedido constante de Echo-Echo em lhe ensinar o ritual.

--Eu Já disse, hoje não, e agora chega de conversa, eles chegaram. Vai indo.

Echo-Echo ainda insistiu mais um pouco, mas Big-Blue acabou o convencendo a atravessar de volta para o plano físico desejando boa sorte para os presentes.

--E você? --Se dirigindo a elfa.

--Sou Sylvanndis, protetora da Katerine, espirito de glória e serva de Luna.

--Certo... Desabrochar-do-Inverno está tudo bem pra você?
--Luz-Viva, Vibra-Pluma, Frontline, estão prontos?


--Prontos!
--Prontos!
--...prontos!

*O Ritual de Totem começa*

--Aquele que deve liderar dê um passo a frente... Luz-Viva, eu já imaginava... segure isso e feche os olhos. --Diz enquanto mergulha as pontas dos dedos no líquido contido na cuia e espalha pelos olhos da Theurge --O Wendigo é um espírito extremamente selvagem, de grande afinidade com a Wyld, espirito canibal da fome e do frio tão imprevisível que até mesmo nós tribais Wendigos evitamos invocar... Lígia, agora pegue isso e faça o mesmo nos seus irmãos de matilha... Aqueles que procuram o Wendigo podem ser considerados extremamente ousados, ou extremamente desesperados. O Wendigo concede aos seus filhos uma fúria descomunal, e se vocês não a dominarem, ela os devora. Desabrochar-do-Inverno vai acompanhar vocês, e ela estará junto de Sylvanndis como desejar, mas não será cobrada ou obrigada em nenhum momento a fazer nada por vocês, ao passo que vocês também não deverão esperar nada dela. Esta será uma decisão que caberá unicamente a ela... Podem abrir os olhos... Sendo hoje o terceiro e último dia referente ao Ritual de Passagem que vocês fizeram, ainda poderão usar a ponte para viajarem de lá para cá e vice-versa, vai facilitar muito a vida de vocês, mas sejam gentis com o Luno. A partir de agora vocês deverão ser capazes de ver os rastros do Wendigo. Agora vão, lhes desejo sorte, e que Gaia esteja com vocês...

A matilha ainda se lembra do caminho que fizeram, logo se abaixaram farejando o chão e assumiram forma lupina e fazendo o caminho sem olhar para trás.

--Aqui Desabrochar-do-Inverno, segure.

Logo que Big-Blue coloca com cuidado o fetiche na mão de Katerine e fecha seus dedos sobre ele, ambos sentiram uma conexão imediata como se o espirito a reconhecesse. Se fechassem os olhos poderiam ouvir os sons que o espírito emitia, e com um pouco de concentração era possível até mesmo vê-lo.

Apito Espiritual:
Nível Quatro e Gnose 8


Quando ativado e assoprado, esse apito de marfim emite um grito queixoso que provoca uma dor imensa em todos os espíritos que se encontram no campo de visão do usuário. Todos os espíritos presentes devem fazer um teste de Gnose e conseguir um número de sucessos igual ou superior ao número de sucessos obtidos pelo usuário para não fugir do grito. O poder deste fetiche é direcional, os espíritos que se encontram atrás do usuário não precisam fazer o teste de Gnose.
Para criar um apito espiritual, é necessário aprisionar um espírito-coruja-das-torres, um espírito da loucura ou da discórdia no interior do apito de marfim.

Coruja-das-Torres:

*Katerine recebeu o fetiche*

O Ancião deu uma risada silenciosa e observou o rosto de Katerine por alguns poucos segundos antes de deixá-la ir, e logo atravessou a película de volta para o plano físico dando espaço para que pudessem dar segmento na busca.

Já estava anoitecendo quando encontraram o Luno que os reconheceu e abriu a Ponte da Lua para o local que haviam determinado como o Ponto de Encontro (local onde foram socorridos ao concluírem a tarefa do Ritual de Passagem), de modo que honrasse seu chiminage, manteria a ponte aberta até o amanhecer.

***

Música:

Ponto de Encontro:


O Ponto de Encontro ficava a cerca de 6km das montanhas geladas, e por esta direção chegaram no cenário de batalha contra o Elemental de Fogo, e foi onde começou a caçada com uma rápida corrida trilhando pelas montanhas seguindo os rastros do Wendigo que enfim começavam a aparecer. A matilha constantemente relatava sentir cheiro de sangue, ocasionalmente tinham rasas visões que os direcionavam para mais rastros.

De acordo com os relatos, haviam pegadas por toda parte, como se o Wendigo saltasse de um lugar para outro sem caminho certo.

Caçada (Percepção + Ocultismo):
Lígia rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 9 2 7 7 1 3 3
Lígia obteve 2 sucessos!

Tobi rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 3 6 8 8
Tobi obteve 3 sucessos!

Gon rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 10 7 6 5 10
Gon obteve 4 sucessos!
Especialização(Atento) rolou 2 dados de 10 lados com dificuldade 6 para Manobra Especial e obteve: 6 2
Especialização(Atento) obteve 1 sucesso!
Total: 5 sucessos!

Lígia parecia não encontrar mais do que apenas cheiros, Tobi já começava a deduzir o padrão dos pulos e um possível caminho, mas Gon em certo momento parecia saber que algo importante estava por ali, e após notar uma de suas patas afundando na neve  e pensar um pouco, começou a cavar, e quanto mais cavava mais estava certo de que havia encontrado algo, parecia ensandecido até que a neve jogada pelo lupino se tornava vermelha apresentando traços de sangue. Em pouco tempo os outros correram para ajudar a cavar mas não encontraram mais que alguns ossos congelados com sangue.

Após observar aquele sangue espalhado o lupino agia como se tivesse certeza do caminho que deveria seguir, e assumiu a forma crinos correndo por sua direção escolhida segurando um osso de cerca de 20cm, e ocasionalmente o cheirava e analisava enquanto permanecia trilhando pelas montanhas.

Confiando nos instintos do lupino seus parceiros assumiram também a forma guerreira correndo logo atrás dele.

As vezes Frontline parecia perdido, mas com expressão corporal apresentada pela posição das orelhas, viradas de pescoço e olhares focados permanecia transmitindo confiança a todos que assistiam e o seguiam, sempre dando sutis sinais de que fez algum progresso, mas não havia encontrado nada definitivo até então. Acabou levando todos a um lugar cercado por pedras lisas, e havia também uma grande parede de gelo e neve da qual suspeitavam de risco de avalanche.

Mapa:
Visto de cima:


Entre as grandes pedras ao norte e bem rente ao chão havia uma pequena passagem, que quase passou despercebida em meio a neve. Talvez se uma forma lupina se espremesse conseguiria entrar, enquanto de fora era possível ouvir alguns gemidos e choros do que parecia ser voz de mulher. E forçando a vista em direção a escuridão da caverna não era possível dizer de fora qual era a profundidade ou mesmo se seria possível voltar.

Buraco:

Frontline em sua forma crinos ouriçou as garras enquanto se aproximava farejando, mas recuou assustado ao ouvir gritos de socorro.

--ELE ESTÁ VOLTANDO! ME TIREM DAQUI!!

--WENDIGO!! --Gritou enquanto jogava pela entrada da caverna o osso que estava carregando.

Rapidamente o trio se reagrupou em distância próxima uns dos outros enquanto se entreolhavam, observavam a entrada da caverna e a expressão no rosto de Katerine e da elfa que a essa altura ja havia rasgado propositalmente um pedaço da saia para facilitar a movimentação.

O vento frio já começava a incomodar, mas ainda não chegava a ser um obstáculo.
avatar
Kurosatsunomori

Mensagens : 156
Data de inscrição : 28/03/2017
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Desabrochar do Inverno - A Rosa do Espinho de Gelo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum